ESCÂNDALO NA BAHIA 🤬 Governador Rui Costa (PT) diz que estado não tem mais pacientes na fila de regulação de intubados em UPAs; fila foi zerada em apenas um dia - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é
PrefSSA

quarta-feira, abril 14, 2021

ESCÂNDALO NA BAHIA 🤬 Governador Rui Costa (PT) diz que estado não tem mais pacientes na fila de regulação de intubados em UPAs; fila foi zerada em apenas um dia



Secretário anunciou que não há mais pacientes aguardando vagas, mas alto índice de infecção deixa situação instável.



Depois de ter mais de 400 pessoas esperando leito de internação da covid-19, em março, a Bahia zerou milagrosamente, e em apenas UM DIA, a fila de regulação de pacientes. Isso significa que, no momento, não há pessoas aguardando leitos e todos os pacientes mais graves da covid-19 estão recebendo tratamento em alguma unidade do estado.

A informação MILAGROSA foi divulgada pelo secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas Boas, em sua conta pessoal no twitter, logo após o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, ter criado nesta terça-feira, 13, a CPI-Comissão Parlamentar de Inquérito, que supostamente vai investigar, além do governo federal, governadores e prefeitos, com relação a gastos com a COVID-19. 


"Hoje a Bahia ZEROU a fila de pacientes com diagnóstico da Covid-19 que estavam intubados e aguardavam transferência em unidades de emergência e UPAs.Esse sucesso só foi possível por conta do trabalho incansável do governador Rui Costa, focado em salvar vidas", escreveu o titular da pasta.

Essa ação só foi possível porque novos leitos foram reabertos às pressas em várias cidades da Bahia, entre elas:

Salvador, Camaçari, Lauro de Freitas, Santo Antônio de Jesus, Feira de Santana, Seabra, Alagoinhas, Guanambi, Caetité, Vitória da Conquista, Ilhéus, Itabuna, Senhor do Bonfim, Jacobina, Barreiras, Barra, Bom Jesus da Lapa, Jequié e Porto Seguro.

No momento, a Bahia tem mais de 3,4 mil leitos ativos. Como o índice de contaminação no estado ainda é considerado alto, os números são monitorados regularmente e a ocupação de leitos pode crescer, implicando diretamente na falta de vagas e no sistema de regulação de pacientes.


Imagens :::: Reprodução

Um comentário:

Deixe aqui sua opínião

NE-Sem fome
-->