DE BOA EM CASA 🍻 Justiça concede liberdade provisória a Cátia Raulino, professora investigada por plagiar trabalhos de ex-alunos na BA 🍻 - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

sexta-feira, maio 14, 2021

DE BOA EM CASA 🍻 Justiça concede liberdade provisória a Cátia Raulino, professora investigada por plagiar trabalhos de ex-alunos na BA 🍻




Decisão ocorreu nesta sexta-feira (14). Cátia deve seguir algumas medidas determinadas pela Justiça como comparecer a juízo mensalmente.


A Justiça concedeu, nesta sexta-feira (14), liberdade provisória para Cátia Regina Raulino, investigada pelos crimes de estelionato, falsificação de documento público e falsidade ideológica, após lecionar em cursos de Direito, em faculdades de Salvador, sem ter o diploma de graduação e de comprovação dos cursos que disse possuir.

Cátia também responde por plágio de artigos e trabalhos acadêmicos de alunos. Cátia foi presa em março deste ano, em Santa Catarina, e no mês de abril ela foi transferida para o presídio de Salvador. A defesa de Cátia confirmou a decisão judicial desta sexta.

"O cumprimento da decisão é imediato. A gente aguarda os trâmites do presídio, mas entre hoje [sexta] até segunda-feira ela deve deixar o local", explicou o advogado Fabiano Pimentel.

Na decisão, a Justiça determina que Cátia compareça em cartório no dia útil seguinte ao da publicação da decisão, na segunda-feira (17), sob pena de nova decretação da preventiva.

Ela também deve comparecer mensalmente ao juízo a fim de informar e justificar suas atividades, até o 10º dia de cada mês, bem como comparecer a todos os atos processuais para os quais for intimada. Ela também deve comunicar ao Juízo qualquer mudança de endereço e não se ausentar da Comarca, por mais de oito dias, sem prévia autorização do Juízo.

Após deixar a prisão, Cátia vai ficar na residência dos pais em Santa Catarina, de acordo com o endereço informado à Justiça. Conforme relata a defesa, ela não possui parentes na capital baiana.

De acordo com a decisão, ela também tem o compromisso de comparecer a todos os atos processuais, ainda que de forma virtual. As medidas cautelares foram determinadas pela Justiça em substituição à indisponibilidade de equipamento para monitoração eletrônica

Em 21 de abril, a Justiça havia negado uma liminar em habeas corpus interposto pela defesa de Cátia Regina Raulino, mantendo a prisão preventiva da falsa jurista.


Foto :::: Reprodução / G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->