Justiça do Trabalho proíbe greve dos rodoviários e cobra meio milhão por descumprimento - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

segunda-feira, maio 24, 2021

Justiça do Trabalho proíbe greve dos rodoviários e cobra meio milhão por descumprimento


Categoria tinha a intenção de paralisar as operações nesta semana.


A Justiça do Trabalho proibiu, em decisão expedida no último sábado (22), a greve dos rodoviários de Salvador, que estava prevista para ocorrer nesta semana. Na última quinta-feira (20), o Sindicato dos Rodoviários da Bahia divulgou nas redes sociais a intenção de paralisar as operações. A decisão do desembargador do Trabalho Norberto Frerichs estabelece que o sindicato deverá pagar multa diária no valor de R$ 500 mil, em caso de descumprimento.

De acordo com o documento, a categoria programava uma greve para quarta (26). A decisão estabelece que pelo menos 80% dos rodoviários devem ir trabalhar em horário de pico (das 4h30 às 8h30 e das 17h às 20h). Nos demais períodos, o mínimo é de 60%.

A decisão do desembargador Norberto Frerichs ainda afirma que uma greve neste momento seria abusiva e ilegal, pois causaria aglomerações em outros modais em meio à pandemia de covid-19.

"Desta forma, diante da realidade brasileira e do cenário de crise na saúde, com o quadro de pandemia de covid-19, a greve possivelmente será abusiva e ilegal por causar a paralisação de um serviço público essencial à população," 

diz trecho da decisão.

Na publicação que anunciou o indicativo de greve nas redes sociais, o Sindicato afirmou ter se reunido com representantes patronais para debater reivindicações que incluem um reajuste salarial. "Assim como na última reunião, os empresários seguem intransigentes em não oferecer nenhum reajuste para os trabalhadores e não aceitam debater nenhum outro item da pauta laboral. Dessa forma, não existe outra alternativa a não ser a continuidade dos trâmites para uma greve geral por tempo indeterminado", diz o texto.



Foto :::: Reprodução / M1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->