Acusações de traição e terror psicológico 🚓 Áudio gravado por criança flagra discussão antes de tragédia em Camaçari - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

terça-feira, junho 29, 2021

Acusações de traição e terror psicológico 🚓 Áudio gravado por criança flagra discussão antes de tragédia em Camaçari




O momento da morte de Tamires Alcântara da Silva, 30 anos, assassinada a tiros pelo companheiro dentro da casa onde morava em Barra de Pojuca, Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador, foi precedido de, pelo menos, uma hora de tortura e terror.


Em um áudio gravado com a ajuda de um celular é possível ouvir os disparos feitos pelo assassino, identificado como Augusto Pamponet, depois de fragilizar a vítima, que estava grávida, com ameaças de morte e acusações de traições no relacionamento.

A gravação obtida com exclusividade pela reportagem do programa Ronda, da TV Aratu, foi feita por uma filha de Tamires, de 12 anos. Ela teria saído da casa com outros irmãos menores, pouco antes do crime, e teria deixado o aparelho acionado, porque sabia que o homem costumava agredir a mãe.

Em determinado instante, são ouvidos barulhos que parecem ser de agressões físicas cometidas por Augusto contra a mulher e as crianças. “Meus filhos não! Seu problema é comigo! Poupe eles! [...] Deixe eles fora dessa situação! Quer fazer besteira, faça sem eles na frente!”, fala a vítima.

O assassino acusou a mulher, durante a discussão, de ter se envolvido com outros homens e insistia na ideia de tirar a vida dela e cometer suicídio. Muita agressividade e xingamentos fizeram parte dos momentos de terror vividos por Tamires antes dos disparos fatais.


“A gente vai passar o dia inteiro nessa situação, até o fim do dia acontecer alguma besteira? [...] Faz o que estou te pedindo, dá um tempo pra mim e para os meus filhos!”. Esses foram alguns dos apelos feitos, em vão, pela mulher que não teve a vida poupada pelo companheiro.

O feminicídio aconteceu no domingo (27/6), por volta das 7h30, e meia hora depois o criminoso foi preso em uma pousada da região, onde ele costumava deixar o seu carro estacionado. Como não havia delegado de plantão na delegacia local, ele foi conduzido para a 27ª Delegacia Territoria (DT/Itinga), em Lauro de Freitas, onde está detido.


Credito da foto  :::: Internauta/Aratu On

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->