Arthur Maia 🤔 Oposição tem "dor de cotovelo" ao criticar encontro entre Bruno e Bolsonaro - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

sexta-feira, junho 04, 2021

Arthur Maia 🤔 Oposição tem "dor de cotovelo" ao criticar encontro entre Bruno e Bolsonaro



Presente na reunião, deputado diz que prefeito foi a Brasília buscar recursos para Salvador.



O deputado federal Arthur Maia (DEM) chamou de "dor de cotovelo" críticas ao prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), por ocasião do recente encontro com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em entrevista ao Metro1 nesta sexta-feira (4), Maia afirmou que a agenda, da qual também participou, tratou apenas da liberação de recursos para a capital baiana, a exemplo do empréstimo de R$ 600 milhões que o Executivo soteropolitano busca no Banco Mundial.

"Eu já tratei disso 30, 40 dias atrás com o ministro Paulo Guedes [Economia], que assinou o pedido de empréstimo, encaminhado depois para autorização do presidente Bolsonaro. Se a oposição está com dor de cotovelo, o problema é da oposição, porque Salvador vai receber mais dinheiro e aplicar, de forma honesta, em obras e investimentos", 

declarou o deputado.

"Não foi tratado nada de politica. [Os oposicionistas] estão zangados", provocou Maia.

Em uma coletiva de imprensa virtual mais cedo, Bruno Reis minimizou as críticas recebidas ao afirmar que foi a Brasília cumprir o seu “papel de prefeito”. “Goste ou não goste, ele é presidente eleito até 31 de dezembro de 2022, e irei quantas vezes forem necessárias ao gabinete dele para dialogar", disse.

O ministro da Cidadania, João Roma, estava entre aliados de Bruno Reis presentes à visita.

Na avaliação do presidente do PT na Bahia, Éden Valadares, além de demonstrar que ACM Neto e Bolsonaro são “aliados”, o encontro sinaliza uma movimentação para a disputa do governo da Bahia em 2022.

Padrinho político de Bruno Reis e comandante de um partido com dois assentos na Esplanada dos Ministérios, o ex-prefeito tem se colocado como provável candidato à sucessão de Rui Costa (PT).

Em outra frente, numa suposta terceira via, Bolsonaro apostaria numa candidatura de Roma, com quem ACM Neto rompeu politicamente pelo fato de o aliado assumir o Ministério da Cidadania.



Foto: Reprodução/Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->