Vídeo 🎬 Homem negro é obrigado a tirar roupa em supermercado para provar que não roubou nada. Enquanto o brasileiro não apreender a dizer NÃO a essas redes, vai continuar a ser massacrado - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

segunda-feira, agosto 09, 2021

Vídeo 🎬 Homem negro é obrigado a tirar roupa em supermercado para provar que não roubou nada. Enquanto o brasileiro não apreender a dizer NÃO a essas redes, vai continuar a ser massacrado





Mais um caso de racismo foi registrado em uma unidade de uma grande rede de supermercados. Dessa vez, a situação ocorreu em um estabelecimento do atacadista Assaí, em Limeira, São Palo, na última sexta-feira (6/8). Um homem negro foi obrigado a retirar toda a roupa para provar que não havia roubado nada.


Vídeos gravados no momento da abordagem, feita por funcionários da unidade, circularam nas redes sociais neste último final de semana. Nas imagens, é possível ver o homem chorando, enquanto tira a roupa. Apesar das críticas, disparadas por testemunhas que estavam no estabelecimento, os seguranças continuaram com a abordagem.

Veja:


Após a repercussão do caso, a assessoria da rede atacadista se pronunciou, informando que afastou o segurança envolvido na ação, e efetivou o desligamento dele nesta segunda (9). Além disso, a rede também afirmou que abriu uma sindicância para apurar o ocorrido e que entrou em contato com a família do cliente para prestar assistência.

"O Assaí combate a violência, a intolerância e a discriminação, sejam elas de qualquer natureza, por meio de ações de conscientização, treinamento, compromissos públicos e manuais internos com orientação para os colaboradores e rede de relacionamentos, todos baseados no código de ética e na política de direitos humanos e de diversidade. No último semestre foram realizadas mais de 24 mil horas de treinamento sobre estes temas aos funcionários. A cia reitera que não tolera abordagens que fazem qualquer juízo de valor em relação à classe social, orientação sexual, raça, gênero ou qualquer outra característica", diz a nota.

"EU TRABALHO"

Em entrevista, Luiz Carlos da Silva, de 56 anos, alvo da abordagem, contou que tirou a blusa de frio e a camiseta que usava a pedido dos funcionários, mas achou melhor tirar a calça também, para deixar claro que não tinha levado nennhum item do supermercado.

“[Eles] queriam me levar para um canto escuro sem ninguém ver. Eu comecei a chamar o pessoal para gravar e servir de testemunha. Se me levassem para trás, eles colocariam alguma coisa em mim e diriam que eu roubei”, disse ele, ao site Notícia de Limeira. “Chorei porque não roubei nada. Nunca precisei roubar nada de ninguém. Eu trabalho", concluiu.

Apesar da situação ter sido taxada como racista nas redes sociais, o boletim de ocorrência foi registrado como constrangimento pois, segundo a Polícia Civil, não há provas de que houve injúria racial.



‌Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.



Credito da foto: reprodução/redes sociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->