Lula não consegue tomar uma tubaína na rua que é escrachado, diz Bolsonaro - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

terça-feira, setembro 28, 2021

Lula não consegue tomar uma tubaína na rua que é escrachado, diz Bolsonaro



Presidente concedeu entrevista nesta segunda-feira à noite, data em que completou mil dias à frente do país.


O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio "Lula" da Silva possui votos, mas não tanto como as pesquisas para as eleições de 2022 apontam . De acordo com o líder do Executivo Brasileiro, o petista teria problemas para tomar refrigerante em um lugar público.

"O Lula tem voto, mas não é tudo isso que estão colocando aí. Ele não consegue tomar uma tubaína na rua que ele é escrachado", 

comentou Bolsonaro em entrevista ao programa "Direto ao Ponto", da Jovem Pan, na data em que completou mil dias no comando do país.

Ainda sobre o PT, o presidente disse: "O plano do PT quase foi perfeito, o problema é que apareceu uma Lava-Jato no meio. É um outro quase milagre".

Confira outros trechos da entrevista de Bolsonaro:

Falta de malícia dos ministros:

"Às vezes, falta malícia. A Regina Duarte [que chegou a assumir a Secretaria da Cultura] é uma ótima pessoa, mas pecou no comando".

Militares no poder:

"Militar atrapalha a vida de alguns políticos, como tínhamos no passado que estavam na administração do Brasil. O militar não é incorruptível, mas a chance de corromper o militar é menor".

Passaporte da vacina

"Passaporte da vacina é um crime que estão fazendo. Até porque não se garante a não transmissão do vírus por parte dos vacinados".

"Quem tomou a vacina, caso se contamine, procure o médico. Não espere, achando que não tem problema, porque tem, sim. Eu vou falar o óbvio aqui, mas a vida é uma só".

Patriotismo

"Ninguém pode negar que comigo ressurgiu o verde e o amarelo. Um mar de verde e amarelo que a gente vê em qualquer lugar que eu vou pelo Brasil. Voltou-se a amar sua pátria, a cantar o hino nacional".

Sergio Moro:

"Eu acho que o Sergio Moro tinha um objetivo. [...] Ele tinha uma agenda muito própria dele aqui. Depois de algum tempo ficou difícil a gente se entender".

Nova filiação:

"Estou atrasado [para se filiar a algum partido]. Tenho conversado. Um partido é tão ou mais sério do que um casamento".

CPI da Covid:

"Uma CPI é muito bem vinda, mas, geralmente, a CPI visa atingir alguém politicamente ou achacar certas pessoas também. Vai vir pesado o relatório. Tranquilidade total. Eu não posso admitir certas acusações. Vão fazê-las [...] isso é um circo".


Foto ::: Reprodução 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->