Osmar Terra é fanfarrão e enganou seu pai, diz Aziz a Flávio Bolsonaro - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

quarta-feira, setembro 29, 2021

Osmar Terra é fanfarrão e enganou seu pai, diz Aziz a Flávio Bolsonaro



De acordo com o presidente da CPI da Covid, Terra mentiu ao dizer que morreriam apenas 800 pessoas por causa da doença no Brasil.


O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou que o deputado federal Osmar Terra (MDB - RS) é um "fanfarrão" e que "enganou o presidente da República, Jair Bolsonaro".

A declaração, feita durante a sessão da CPI da Covid desta quarta-feira (29), foi motivada durante um bate-boca entre Aziz e Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), senador e filho do presidente da República. "Osmar Terra é um fanfarrão e enganou seu pai. Ele disse que morreria só 800 ou mil pessoas. Ele é um fanfarrão e mentiu para o presidente", disse Aziz.

Flávio Bolsonaro rebateu, mas como seu microfone estava desligado, não foi possível ouvir o que ele respondeu ao presidente da CPI.

Hang diz que não é sonegador

O empresário bolsonarista Luciano Hang é o depoente da CPI nesta quarta-feira. Ele negou que seja sonegador de impostos. Ele foi questionado por Rogério Carvalho (PT-SE) sobre a acusação de que deve R$ 2,5 milhões à Receita Federal. O empresário reconheceu que a empresa dele “tem disputas em qualquer órgão”. Mas afirmou que, apenas neste ano, recebeu R$ 1 bilhão em impostos que haviam sido cobrados indevidamente pelo Fisco.

"Quando ganho, até mando para a imprensa para ver se sai alguma coisa. Não sai nada. Mas quando eu perco R$ 2,5 milhões, que não é nada, que a gente discutiu e perdeu, a gente vai lá e paga. É assim que funciona. Tem que parar com esse 'mimimi' de que o empresário é sonegador, que eu sou sonegador — disse.

Ao responder a questionamento do senador Renan Calheiros (MDB-AL), Luciano Hang disse que conhece o deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), mas que não tem relação de amizade com o deputado. Hang admitiu, no entanto, que esteve com Ricardo Barros, o senador Jorginho Mello (PL-SC) e outros parlamentares na manhã de hoje, antes de prestar depoimento à CPI.



Foto :::: Leopoldo Silva/Agência Senado

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->