Greve dos caminhoneiros? Rodovias operam sem transtornos, garante Ministério da Infraestrutura - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

segunda-feira, novembro 01, 2021

Greve dos caminhoneiros? Rodovias operam sem transtornos, garante Ministério da Infraestrutura


Aguardada para esta segunda-feira (1°/11), a greve dos caminhoneiros parece ter ficado apenas 'na teoria'. Pois, 'na prática', segundo o Ministério da Infraestrutura, não há nenhum bloqueio de rodovia, parcial ou total pelo país.


Ainda de acordo o Ministério, as tentativas de bloqueio na manhã desta segunda estão sendo dispersadas pela Polícia Rodoviária Federal. Uma dessas aglomerações aconteceu no Porto de Capuava (ES). Existem ao menos 29 liminares na Justiça contra bloqueio de rodovias, refinarias e portos contemplando 20 estados.

Neste último domingo (31/10), entidades de representação dos caminhoneiros haviam mantido o chamado para a greve marcada para esta segunda-feira. A principal queixa é contra o aumento do diesel, que já subiu mais de 34% nos últimos 12 meses, segundo o IPCA-15.

Por isso, os caminhoneiros pedem o fim da política de preços da Petrobras, que reajusta o valor dos combustíveis de acordo com o custo do petróleo no mercado internacional e com o dólar.

“Estou buscando apoio de outros segmentos para fortalecer a nossa luta, para que o governo tenha sensibilidade e retire o PPI (preço paridade de importação). Peço apoio aos irmãos caminhoneiros. Você que não está aguentando essa situação, vamos cruzar os braços”, diz em vídeo Wallace Landim, conhecido como Chorão, presidente da Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores).

O presidente da CUT, Sergio Nobre, declarou apoio à greve. “A luta dos caminhoneiros é de toda classe brasileira”, disse ele se referindo ao impacto da alta do diesel sobre os preços dos alimentos.


‌Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.




Credito da foto:Tomaz Silva/Agência Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->