FEIRA DE SANTANA ⛈️ Defesa Civil de Feira já atendeu 38 solicitações desde a última quinta-feira, diz coordenador - Observador Independente

BAHIA

13 de marzo de 2018

FEIRA DE SANTANA ⛈️ Defesa Civil de Feira já atendeu 38 solicitações desde a última quinta-feira, diz coordenador

Foto: Ed Santos/Acorda Cidade



A Defesa Civil de Feira de Santana já recebeu 38 solicitações de emergência desde a última quinta-feira (8), quando começaram a incidência de chuvas na cidade. O órgão, que funciona no prédio da Secretaria de Prevenção à Violência (Seprev), atende aos chamados através da central 156.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil, Pedro Américo Lopes, os bairros que mais tiveram solicitações foram Feira VII, Gabriela, Rua Nova, Baraúnas e Campo Limpo. “Houve alguns casos de alagamentos, mas sem muitos prejuízos privados. E outros com risco do imóvel e por conta da localização em área de risco”, informou.

Segundo Pedro Américo, durante esse período de chuva houve um caso de uma residência que desmoronou, por conta da localização e a construção, que era frágil. E uma residência próximo a um córrego teve perda de materiais de construção, devido à força da água. “Felizmente, a gente não teve nenhuma vítima fatal, nem nenhum dano grave.”

Prevenção

O coordenador da Defesa Civil explicou ainda como é a atuação do órgão na prevenção de incidentes relacionados às chuvas. Ele afirmou que existe uma parceria entre a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e a Secretaria de Serviços Públicos, que faz a limpeza dos canais de macrodrenagem e dos córregos que existem no município, no período que antecede as chuvas.

“Quando ocorrem as chuvas a gente faz o processo de mapeamento desses locais identificando onde houve possíveis gargalos nessa estrutura da limpeza. Quando há um risco do imóvel, a gente faz a retirada dessa família do imóvel, fazendo com que ela seja acolhida por programas sociais do município”, salientou.

Ainda conforme Pedro Américo, as pessoas não devem tentar entrar em contato com a água de córregos e canais, nadar ou deixar as crianças entrarem em contato.

“São águas que passam por vias fluviais, mas também por rede de esgoto. É importante que a saúde seja preservada, e alimentos que entraram em contato com essa água também não devem ser consumidos. Além disso, em caso de alagamentos deve-se tentar evitar usar instrumentos elétricos e buscar desligar o padrão para evitar problemas maiores.”

Ele pediu apoio da população para denunciar pontos onde as pessoas jogam lixo e entopem os bueiros. “Na hora da necessidade da água escoar, não tendo o caminho planejado, ela vai adentrar a casa das pessoas”, ressaltou.

acordacidade

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas