SALVADOR @ MP-BA investiga supostas irregularidades no Réveillon de Salvador - Observador Independente

BAHIA

16 de mayo de 2018

SALVADOR @ MP-BA investiga supostas irregularidades no Réveillon de Salvador

Contratação das bandas que animaram festejos será alvo de investigação do Ministério Público




Um inquérito instaurado pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) vai apurar supostas irregularidades envolvendo a contratação de bandas que se apresentaram durante a festa de Réveillon de Salvador em 2017. 

A medida atende a uma representação encaminhada ao órgão pelo então vereador Everaldo Augusto (PCdoB), em julho de 2016, juntamente à solicitação de ajuizamento de ação civil pública e atuação conjunta com o Tribunal de Contas.

A gestão municipal foi acusada pelo parlamentar de improbidade administrativa, uma vez que o valor gasto na festa - pago a partir de uma parceria com a iniciativa privada - não teria sido informado na época. Alem disto, segundo o vereador, não houve indicação do crédito orçamentário a ser vinculado ao pagamento das despesas nem licitações prévias. 

O inquérito está nas mãos da promotora Heliete Rodrigues, da 4ª Promotoria de Justiça da Cidadania da Capital, que já requereu documentos da Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) e outras unidades.

Em nota, a Empresa Salvador Turismo (Saltur) informou que não há irregularidades nas contratações realizadas. "Vale destacar que a entidade já colaborou com o Ministério Público prestando todas as informações solicitadas e que se encontra à disposição da promotoria para quaisquer esclarecimentos adicionais", completou.


ATarde

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas