CAMAÇARI @ Prefeitura abras as portas da Unidade de acolhimento no município - Observador Independente

BAHIA

17 de junio de 2018

CAMAÇARI @ Prefeitura abras as portas da Unidade de acolhimento no município

A Casa Lar de Camaçari está situada em Jauá / Crédito da foto ASCOM/PMC




O serviço de proteção e acolhimento integral às crianças e adolescentes - que por motivo de risco (negligência, discriminação, abuso e exploração) tiveram seus vínculos familiares fragilizados ou rompidos – residentes na cidade, ganhou um reforço importante. É que a Casa Lar de Camaçari abriu oficialmente as portas e foi apresentada às entidades que desenvolvem o trabalho de assistência social no município.

O convênio, firmado inicialmente por um ano, a contar de março de 2018, é fruto de uma parceria consolidada entre a Prefeitura de Camaçari, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Social e Cidadania (Sedes), com a Organização Não Governamental (ONG) Aldeias Infantis SOS Brasil, é no valor de cerca de R$ 600 mil.

O recurso servirá para cobrir todas as despesas com a manutenção do equipamento, como recursos humanos, aluguel do imóvel, alimentação, medicação, vestuário, material paradidático, recreativo, lúdico, custos operacionais e quaisquer outros gastos necessários. A partir dessa parceria, o gestor do município passa a concorrer ao título de Prefeito Amigo da Criança, promovido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

A implantação do serviço em Camaçari atende as orientações da Política Nacional de Assistência Social. Anteriormente, as crianças ou adolescentes eram acolhidos em municípios vizinhos. Com o reordenamento dos serviços de acolhimento, os mesmos passam a ser municipalizados. No local, já foram devidamente acolhidos uma adolescente de 17 anos, acompanhada de sua filha, de cinco meses, além de um outro bebê de três meses. 

Para a secretária do Desenvolvimento Social e Cidadania, Ilay Ellery, que na oportunidade representou o prefeito Elinaldo Araújo, ter a Casa Lar em Camaçari é uma conquista sem precedentes. “Esse é um momento de comemoração. O próximo passo é a reestruturação do serviço, com vista à ampliação e instalação também na sede do município”, destacou a titular da pasta. 

Com uma equipe técnica multiprofissional, composta por assistente social, psicólogo, auxiliar administrativo, assistente, além das “mães e tias sociais” (responsáveis pelo cuidado) e suas substitutas, a unidade de acolhimento tem capacidade para acolher até 10 indivíduos, com idade até 18 anos incompletos.

A Casa Lar de Camaçari está situada em Jauá, num espaço amplo, com andar, bastante arejado e vista para o mar. Dividida em vários cômodos, a casa possui em sua estrutura física cinco quartos, sendo que quatro são com suíte, banheiros sociais, salas de estar e de jantar, cozinha, varanda e muita área externa.

As crianças e adolescentes chegam ao local encaminhadas pela Justiça. A medida protetiva deve ocorrer pelo prazo máximo de dois anos. Nela, os irmãos biológicos não são separados. A ONG detém a guarda provisória e excepcional deles. Na unidade de acolhimento são garantidos os direitos básicos, além de alimentação, educação, saúde, lazer, o direito à convivência familiar e comunitária.

No núcleo familiar os acolhidos crescem e aprendem juntos, compartilham responsabilidades, trabalham conflitos e limites da vida cotidiana, na perspectiva de um desenvolvimento integral. Estes núcleos estão inseridos no meio comunitário, onde crianças e adolescentes têm a oportunidade de participar ativamente da realidade local.

Para celebrar o momento, além de torná-lo o mais parecido com a chegada a um novo domicílio, foi realizado um chá de casa nova e oferecido um saboroso café da manhã para os convidados, funcionários e acolhidos. 

Estiveram presentes os secretários de Desenvolvimento Econômico, Waldy Freitas, e de Relações Institucionais, Janete Ferreira. Também compareceram, a juíza da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Camaçari, Geórgia Britto, e os representantes de órgãos como o Conselho Tutelar e os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Especializado de Assistência Social (CRAS).


Autor: ASCOM/PMC

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas