SALVADOR @ Em nova Adin contra transporte por aplicativo, TJ-BA solicita informações a Neto e Leo Prates - Observador Independente

BAHIA

20 de junio de 2018

SALVADOR @ Em nova Adin contra transporte por aplicativo, TJ-BA solicita informações a Neto e Leo Prates

Crédito da foto: Reprodução




O Ministério Público da Bahia estadual moveu Ações Diretas de Inconstitucionalidade contra leis municipais das prefeituras de Salvador, Porto Seguro e Feira de Santana que proíbem e estabelecem multas para o que caracterizam como “transporte clandestino”, a exemplo do serviço de transporte realizado pelo aplicativo Uber e modalidades semelhantes.

O Tribunal de Justiça da Bahia decidiu requisitar ao presidente da Câmara Municipal, Leo Prates, e ao prefeito de Salvador, ACM Neto, no prazo de cinco dias, prestar esclarecimentos acerca da Lei n.º 9.107/2016, de 3 de agosto de 2016, do Município de Salvador.

A decisão acontece após ação proposta pela Procuradora-Geral de Justiça, Ediene Lousado, que alegou a inconstitucionalidade da referida lei “em face da alegada violação ao art. 59, inciso IX, art. 55 da Constituição Estadual que se conjuga com o art. 22, XI da Constituição Federal e art. 30 da Constituição da República Federativa do Brasil”.

De acordo com o MP-BA, as leis municipais invadem competência privativa da União para legislar sobre trânsito e transporte. A competência dos municípios no caso do trânsito é apenas suplementar, cabendo somente adequar as leis estaduais e federais.

Desta forma, as cidades não podem nem vedar a atividade de transporte remunerado de pessoas em veículos particulares, como pedem as leis municipais de Porto Seguro e Feira de Santana, nem apreender o veículo que não possua licença para realizar o transporte remunerado, como determina a lei municipal de Salvador.

Sobre o pedido de concessão de medida cautelar pedida pela procuradora-geral, com objetivo de que sejam suspensos os efeitos produzidos pela Lei, a desembargadora Maria de Fátima Silva Carvalho, relatora da ADIN, vinculou sua decisão às informações que serão prestadas pelo prefeito e presidente da Câmara em até cinco dias.


bocãonews
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas