SALVADOR @ Entidades ligadas a Coronel lucram com contratos públicos; deputado nega irregularidades - Observador Independente

BAHIA

12 de junio de 2018

SALVADOR @ Entidades ligadas a Coronel lucram com contratos públicos; deputado nega irregularidades

Foto: Arquivo/BNews Por: Folhapress - João Pedro Pitombo




Auditor-geral da Assembleia da Bahia, Mário Simões Júnior é polivalente. Trabalha no Legislativo, é vice-presidente de um conglomerado de empresas e comanda duas organizações sociais que faturam contratos com o poder público.

Ele é aliado de Angelo Coronel (PSD), presidente da Assembleia e pré-candidato ao Senado na chapa do governador Rui Costa (PT). Outros três servidores do deputado comandam empresas ou entidades com contratos e convênios com prefeituras, governo e Assembleia baiana.

A relação das entidades com governo e Legislativo contraria o Estatuto do Servidor da Bahia, que proíbe os servidores de "transacionar com o Estado".

O sistema Family Cred é o principal exemplo das interseções entre organizações sociais, funcionários da Assembleia Legislativa e o Grupo Corel, conglomerado de empresas do deputado controlado pela Jet International Trading, offshore sediada no Panamá.

A entidade Family Cred Clube de Seguros administra cartões de benefícios a servidores públicos mediante desconto em folha de pagamento. O serviço funciona com o software Cellpago, desenvolvido pelo Grupo Corel, e atende a servidores do governo, Assembleia e prefeituras.

Já a Family Cred Soluções, esta uma empresa, gerencia cartões de tíquete combustível. Até 2014, firmou contratos com as prefeituras de Aporá, Malhada de Pedras, Itapebi, Mascote, Ipiaú e Dom Basílio. Um deles, o de Ipiaú, foi contestado pelo Tribunal de Contas: auditores constataram "desvantagem ao município".

É dono da empresa Alexandre Pereira e seu administrador, Eugênio Isaac Bonfim, ambos funcionários da presidência da Assembleia. Na época dos contratos, o pai de Angelo Coronel, Orlando Martins, constava entre os sócios.

Na prática, empresa e entidade Family Cred são a mesma coisa. Funcionam no mesmo endereço e têm como responsável Alexandre Pereira, cuja ligação com Angelo Coronel é tão íntima que se refere ao deputado como "um verdadeiro pai" nas redes sociais.

Alexandre ainda preside a entidade que gere a rádio Coração FM, na cidade de Coração de Maria, base eleitoral do deputado. Apesar de comunitária, a rádio é apresentada no site do Grupo Corel como braço do conglomerado no setor de comunicação.

Comandada por uma cunhada de Angelo Coronel, a OSB (Organização Social de Gestão da Bahia) recebeu R$ 5 milhões do governo da Bahia de 2013 a 2018. A entidade gerencia o Hospital Angelo Martins, em Coração de Maria, e obteve só recursos para compra de equipamentos e cirurgias.

A contratação foi feita a despeito do histórico de suspeitas da OSB. Em 2008, o Tribunal de Contas viu "graves irregularidades" em repasses feitos pela Assembleia: a entidade usou recursos públicos para comprar cestas básicas de uma empresa dos filhos do deputado. As cestas, afirmaram os auditores, não tiveram distribuição comprovada.

Também alvo dos auditores do TCE, a ADBahia é comandada por Mário Simões Júnior e revelou ter expertise elástica: construiu imóveis do Minha Casa, Minha Vida e recebeu do estado um trator, em cessão por cinco anos.

Já a Cooempo, comandada por Márcio Barreto, chefe de gabinete da presidência da Assembleia, atua no Minha Casa, Minha Vida e forneceu merenda à Prefeitura de Coração de Maria na gestão de Diego Coronel (PSD), filho do deputado.

Entre as empresas do deputado, a OBS Empreendimentos atuou no Minha Casa, Minha Vida e construiu imóveis em Central, Retirolândia, Lapão, Santo Estevão e Nova Fátima.

OUTRO LADO

Angelo Coronel nega irregularidades nas entidades geridas por seus familiares e funcionários e diz que não tem ingerência sobre elas. Afirma que não geram lucro.

"É uma coisa social. O único dividendo que tenho é político. Não sou hipócrita para negar isso", afirmou o deputado, alegando que não há pedido de voto como contrapartida.

Em relação à Family Cred, diz que a relação da entidade se dá diretamente com o servidor, não havendo repasses do poder público. Sobre a Family Cred Soluções, diz que a empresa não pertence mais ao Grupo Corel. A respeito da rádio, diz que tem relação afetiva, mas não comercial.

Sobre o Minha Casa, Minha Vida, diz que OBS, Adbahia e Cootempo não foram contratados pelo governo federal, mas por instituições financeiras responsáveis pelo projeto.

A Secretaria da Saúde da Bahia afirma que a contratação da OSB seguiu "ditames e regulamentos legais". A Secretaria do Desenvolvimento Rural diz que o trator cedido à ADBahia visa facilitar a produção de alimentos da agricultura familiar.

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas