BAHIA @ ESPECIAL TURÍSTICO # Frio na Bahia? Veja opções de destinos para curtir o inverno sem sair do estado - Observador Independente

BAHIA

22 de julio de 2018

BAHIA @ ESPECIAL TURÍSTICO # Frio na Bahia? Veja opções de destinos para curtir o inverno sem sair do estado

Montanhas de Piatã (BA) ficam encobertadas por neblina nos dias de mais frio 
(Foto: Lucas Magalhães)



Engana-se quem acredita que a Bahia se resume a sol e carnaval. O estado também conta com uma série de locais que agradam quem curte temperaturas amenas, belezas naturais e boa gastronomia.

A procura por pacotes de viagem entre os meses de junho e agosto, de acordo com o agente de viagens Celso Santana, partem de pessoas interessadas em fugir da badalação das grandes cidades.

"São pessoas que estão em busca de um lugar sossegado para curtir a dois, na maioria das vezes, e querem um espaço para contemplação da natureza, longe do agito da capital", disse.

Veja um levantamento das cidades baianas que apresentam baixas temperaturas nesta época do ano e que contam com atrativos turísticos. 

Confira:

Vitória da Conquista

Trajeto para o Poço Escuro, Vitória da Conquista (BA) 
(Foto: Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista / Divulgação)


Distância: 510 quilômetros de Salvador

Clima: Conhecida como "Suíça baiana" por causa das baixas temperaturas, a cidade chega a registrar, no inverno, temperaturas mínimas entre 15°C e 9°C.

Atrações turísticas: Uma das atrações da cidade é a estátua do Cristo Crucificado da Serra do Periperi, de autoria de Mário Cravo. A peça, de 1983, tem 15 metros de altura e traz na figura de Jesus Cristo as feições do homem nordestino. O local onde a estátua está instalada funciona como uma unidade de conservação, com cerca de 1.300 hectares de área verde e 15 quilômetros de extensão. O Poço Escuro, reserva florestal sob administração do poder público, dispõe, também de trilhas e flora e fauna preservadas. No mês de agosto, outra opção para curtir o frio em Conquista é o Festival de Inverno Bahia.

Como chegar: A cidade recebe, diariamente, voos no aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo. De ônibus, o acesso é pelas rodovias BR-407, BA-263 e BR-116 (Rio-Bahia), que corta a cidade ao meio

Piatã

Serra da Tromba, em Piatã (BA) (Foto: Acony Santos / Guia da Chapada)


Distância: 572 quilômetros de Salvador

Clima: Piatã é a cidade mais alta da Bahia, com 1.280 metros de altitude. Por isso, é considerada a mais fria do estado, com temperatura que chega a 5°C no inverno. Em 2014, registrou temperatura mínima de 3°C.

Atrações turísticas: Piatã se destaca pelas paisagens montanhosas e clima interiorano. Produz cafés especiais, premiados em concursos nacionais, e por isso, a bebida pode ser consumida em cafés, lanchonetes e nas fazendas, diretamente com o produtor.

As montanhas são uma oportunidade para quem curte esportes radicais, como mountain bike e trekking. O município conta, ainda, com pinturas rupestres e cachoeiras e históricas, como as cachoeiras do Patrício e Cochó e trilhas na Serra de Santana, onde é possível ter uma vista panorâmica da paisagem de Piatã em diversos ângulos

Como chegar: Partindo de Salvador, o percurso até a cidade é feito pela BR-242.

Morro do Chapéu

Trecho da Cachoeira do Ferro Doido, em Morro do Chapéu (BA) 
(Foto: Tatiana Azeviche - Setur-BA / Divulgação)



Distância: 384 quilômetros de Salvador

Clima: Durante todo o ano, a cidade tem temperaturas amenas, entre 16°C e 24 °C. No inverno, já foi registrada temperatura mínima abaixo de 5°C, embora ocorram muito raramente esse extremo.

Atrações turísticas: Morro do Chapéu tem cachoeiras, sítios arqueológicos e cavernas, a exemplo da Gruta dos Brejões, considerada a sexta maior do Brasil, a Cachoeira do Ferro Doido e o Parque Estadual Morro do Chapéu. Na área urbana, a cidade é cercada por uma arquitetura secular que podem ser vistas na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça, na capela da Soledade, na sede da prefeitura. A Vila do Ventura, distrito de Morro do Chapéu também se destaca dentre os pontos turísticos por abrigar dois casarios e uma capela do século XX. No mesmo local, é possível chegar à Cachoeira do Ventura. Nas proximidades, o sítio arqueológico Cidades das Pedras também se destaca pelo conjunto de pinturas rupestres.

Como chegar: Partindo de Salvador, o percurso até a cidade é feito pela BA-052.

Palmeiras (Vale do Capão)

Vale do Capão, em Palmeiras (BA) (Foto: Tatiana Azeviche - Setur-BA / Divulgação)


Distância: 439 quilômetros de Salvador

Clima: As temperaturas variam entre 16°C e 26°C. No inverno, a chega menos de 11ºC.

Atrações turísticas: O clima interiorano e a arquitetura colonial são destaques na cidade de Palmeiras. O Vale do Capão, distrito da cidade, é a parte mais famosa. Considerado um dos mais importantes santuários ecológicos do estado, é cheio de cachoeiras. As cachoeiras da Fumaça, da Purificação, do Rio Preto, do Riachinho e de Conceição dos Gatos são paradas obrigatórias para quem não tem medo de água gelada. A noite na vila do Vale do Capão tem diversas ofertas gastronômicas, com pizzarias e cafés famosos. Aos domingos, uma grande feira é montada na praça principal do vilarejo.

Como chegar: Partindo de Salvador, o percurso até a cidade pode ser feito pela BA-052 ou pela BR-116.

Seabra

Igreja do Senhor Bom Jesus, em Seabra (BA) (Foto: Tatiana Azeviche - Setur-BA / Divulgação)


Distância: 456 quilômetros da capital

Clima: A temperatura, durante todo o ano, fica na média de 23°C. No inverno, os termômetros chegam a marcar 10°C.

Atrações turísticas: As opções de passeios vão desde cachoeiras, grutas e até um complexo arqueológico. A cachoeira do Riachão, formada por uma sequência de corredeiras e as cavernas Buraco do Cão, Diva de Maura, Gruta de Santa e Talhão são os locais mais procurados pelos turistas. O destaque entre as belezas naturais de Seabra é a gruta Bolo de Noiva, constituída por um lago, estalactites, estalagmites e fósseis incrustrados na rocha. O Complexo Arqueológico de Alagadiço é uma opção para quem curte um passeio histórico. O local é formado por 19 sítios, conta com painéis de pinturas rupestres e um possível cemitério indígena. A arquitetura antiga da região também chama a atenção dos visitantes. Há também a igreja de Bom Jesus, de 1975, construída em quartzo rosa.


Luana Almeida, G1 BA

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas