JUAZEIRO @ SEMINÁRIO E MISSA DO CANGAÇO MARCAM 80 ANOS DA MORTE DE LAMPIÃO NESTE SÁBADO (28) - Observador Independente

BAHIA

28 de julio de 2018

JUAZEIRO @ SEMINÁRIO E MISSA DO CANGAÇO MARCAM 80 ANOS DA MORTE DE LAMPIÃO NESTE SÁBADO (28)


Os 80 anos da morte de Virgulino Ferreira, o Lampião são o tema central do Seminário Sertão Cangaço. O evento reúne historiadores e pesquisadores de diversas partes do país em torno da saga dos cangaceiros que formou uma cultura própria no Sertão Nordestino.

Na programação, lançamentos de livros, palestras e apresentações de documentários e trabalhos acadêmicos sobre o tema do Cangaço. O seminário será encerrado com a Missa do Cangaço, na Grota de Angico, em Sergipe, neste sábado dia 28 de julho . No ano de 1938 Lampião foi assassinado pela polícia junto com sua mulher, Maria Déa - que ficou conhecida como Maria Bonita. 

"O que aconteceu em Angico foi um massacre. Onze pessoas foram mortas. Lampião morreu sem disparar um único tiro. Maria Bonita foi degolada viva. O tiro que ela levou não foi mortal. Era uma jovem de 27 anos", diz a psicóloga Rosa Bezerra, filha de Generino Bezerra, um dos cangaceiros que acompanhou Lampião entre 1926 e 1927, na primeira fase do Cangaço, quando não havia mulheres no bando.

Autora do livro "A Representação social do Cangaço", lançado em 2009, Rosa Bezerra estuda o Cangaço como um movimento social que, como Canudos, era considerado marginal e temido pelos poderosos.

"Lampião e muitos outros entraram no Cangaço porque não aceitavam as injustiças dos coronéis do Sertão. O movimento tornou-se um abrigo de todos que se sentiam injustiçados e havia um temor que aqueles homens armados pudessem se aliar a políticos da época", analisa Rosa, que tem especialização em Psicologia Social. 

Do pai, falecido em 1978, ela tem poucos registros de sua fase como cangaceiro mas guarda a lembrança que ele considerava Lampião uma pessoa formidável, de muita coragem.

"Meu irmão tinha muita vergonha do nosso pai ter sido do Cangaço e não deixava ele falar nada sobre a época em que seguiu o bando em Pernambuco", revela. Neste sábado (28), Rosa Bezerra irá mais uma vez para a Missa do Cangaço, um registro que ocorre há 20 anos, lembrando um período singular da história do Nordeste.


 Blog Geraldo José

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.
O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.
VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas