SALVADOR @ Família faz campanha para ajudar bebê de oito meses que tem paralisia cerebral após nascer - Observador Independente

BAHIA

21 de julio de 2018

SALVADOR @ Família faz campanha para ajudar bebê de oito meses que tem paralisia cerebral após nascer

Sophia Victoria sofreu uma paralisia cerebral que deixou sequelas. (Foto: Josis Meng)



Menina, que está internada no Hospital Martagão Gesteira, sofre com convulsões e paradas respiratórias, além de ter luxação no quadril. Campanha pede ajuda para pagar leite especial, remédio para aliviar dor e uma prótese.

Para ajudar, os interessados devem entrar em contato com a família pelo telefone 71 9 9292-8015.

A família de Sophia Victoria, de oito meses, faz uma campanha para ajudar no tratamento médico da criança, que tem uma paralisia cerebral logo após nascer, no Instituto de Perinatalogia da Bahia (Iperba), em Salvador.

Sophia tem constantes convulsões e paradas respiratórias, sequelas da paralisia cerebral. Ela passou sete meses internada, ficou cinco em casa e voltou para o Hospital Martagão Gesteira, onde segue em tratamento.

"Sophia estava em casa no domingo (15) quando teve mais uma convulsão. Eu e o pai dela demos os primeiros socorros e o Samu levou ela para o hospital", disse Josis Sacramento Meng, mãe da menina.

Segundo Josis, a criança também tem uma luxação no quadril e usa uma prótese que precisa ser substituída conforme o crescimento da menia. "Minha filha chora de dor toda vez que espreguiça, que vai trocar a fralda e sempre que faz movimentos com as pernas", disse a mãe de Sophia.

A campanha realizada pela família e amigos de Sophia tem o objetivo de conseguir dinheiro para a compra do remédio Morfina, que ameniza a dor do bebê, o leite especial que custa R$ 200, cada lata, e as próteses de quadril, que custam R$ 1.880, cada.
Menina já passou por dois processos cirúrgicos. (Foto: Josis Meng)


Com apenas oito meses de vida, o bebê já passou por dois procedimentos cirúrgicos. Uma gastrotomia, processo de fixação de uma sonda alimentar, em dezembro, e uma traqueostomia, abertura na traquéia para melhorar a passagem de ar.

Para ajudar, os interessados devem entrar em contato com a família pelo telefone 71 9 9292-8015.

Gravidez

Família faz campanha para ajudar a pequena Sophia (Foto: Josis Meng)


De acordo com Josis Meng, a gravidez foi tranquila e nenhum dos exames feitos no período detectou problemas de sáude. Para o espanto da mãe de Sophia, a menina "nasceu cinza" e não chorava.

"Comecei a gritar quando eu vi. Os médicos levaram e disseram que ela teve uma parada respiratória, mas foi reanimada", contou Josis Meng.

"Sophia foi uma gravidez desejada, fez todos os exames, dentro da barriga era sadia e não sabemos até hoje o que aconteceu", explicou.


G1/Bahia

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas