BRASÍLIA @ Caixa reduz juros da casa própria e aumenta limite para financiar imóvel usado - Observador Independente

BAHIA

24 de agosto de 2018

BRASÍLIA @ Caixa reduz juros da casa própria e aumenta limite para financiar imóvel usado

Agência da Caixa Econômica Federal em Goiânia, Goiás (Foto: Paula Resende/ G1)




Taxa mínima caiu para 8,75% para imóveis do SFH e para 9,50% no SFI; limite para financiar imóveis usados subiu de 70% para 80% a partir desta sexta-feira (24).

A Caixa Econômica Federal (CET) anunciou a redução nas taxas de juros do crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), e aumentou o percentual do valor para financiar imóveis usados. As mudanças começam a valer nesta sexta-feira (24).

As taxas mínimas passaram de 9% ao ano para 8,75% no caso de imóveis financiados dentro do Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Já os juros para imóveis do Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) passaram de 10% ao ano para 9,50% ao ano.

O limite de cota de financiamento de imóveis usados sobe de 70% para 80%. Com isso, é possível dar uma entrada menor na aquisição deste tipo de bem.
(Foto: Infografia: Karina Almeida/G1)


Expansão da carteira habitacional

A mudança ocorre após a Caixa ter reduzido as taxas em abril deste ano pela primeira vez em 17 meses, seguindo o movimento iniciado por outros bancos. Na ocasião, o banco também elevou o limite de financiamento de imóveis usados de 50% para 70%.

O presidente da Caixa, Nelson de Souza, avalia que o desempenho do crédito imobiliário no segundo semestre será “muito melhor” após o anúncio da medida, que disponibilizou R$ 20 bilhões em recursos para o crédito habitacional do SBPE.

Dona de 69,3% do crédito imobiliário no país, a Caixa possui R$ 82,1 bilhões disponíveis para financiar imóveis em 2018.

“Neste momento temos capital suficiente para fazer uma pequena expansão na nossa carteira de crédito, de maneira prudente e com muito cuidado, e escolhemos o produto que tem a melhor rentabilidade”, diz Souza.

O presidente da Caixa acrescenta que, após incentivos para linhas habitacionais como o Minha Casa, Minha Vida, a prioridade do banco agora é expandir o crédito com os recursos da poupança, que abrange imóveis de valor mais elevado que as linhas subsidiadas, além de ampliar o acesso a financiamentos para imóveis usados.

No balanço do segundo trimestre, no qual a Caixa lucrou 34% acima do mesmo período de 2017, o saldo da carteira de crédito habitacional subiu 3,6% em 12 meses, totalizando R$ 437,5 bilhões em junho.

Destes, R$ 250,9 bilhões vieram de recursos do FGTS e R$ 185,6 bilhões com recursos da caderneta de poupança. Apesar do avanço da concorrência neste segmento, a Caixa informou que segue líder desse mercado com 69,3% de participação.



g1

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas