FEIRA DE SANTANA @ Alegando falta de pagamento, empresa fornecedora arranca os paralelepípedos de estrada; Prefeitura nega - Observador Independente

BAHIA

21 de agosto de 2018

FEIRA DE SANTANA @ Alegando falta de pagamento, empresa fornecedora arranca os paralelepípedos de estrada; Prefeitura nega

Crédito da foto / Acorda Cidade



A Secretaria de Comunicação informou que a empresa que venceu a licitação deixou a obra por dificuldades financeiras e a prefeitura municipal está articulando com a segunda colocada no processo licitatório para assumir os serviços e dar continuidade.

Um fato de certo modo inusitado aconteceu na cidade de Feira de Santana-BA, quando uma empresa foi até uma rua recém pavimentada e arrancou toda pedra de paralelepípedo usa no calçamento de uma uma estrada de Terra Dura, localidade de Alecrim.

De acordo com o Site Acorda Cidade, a estrada de calçamento está parada desde o mês de junho e moradores informaram que a empresa responsável por executar a obra fez apenas alguns metros e parou, por que não pagou ao fornecedor, que foi ao local e utilizou quatro caçambas para recolher o material que seria utilizado na obra.

O morador Antônio Oliveira informou que a obra está parada desde o período do São João, em Junho. “Desse período pra cá não fez mais nada. Eles dizem que parou porque estava esperando chegar mais material e que a empreiteira recebeu da prefeitura e não pagou o fornecedor”, afirmou.

Prefeitura nega

A assessoria de Comunicação enviou uma nota afirmando que não há “falta de pagamento” por parte da Prefeitura de Feira de Santana, em relação a obra realizada na estrada da comunidade conhecida como Terra Dura, zona rural do município.

De acordo com a nota, 
Na verdade, a empresa licitada para realizar o trabalho recebeu o que é de direito. Uma fornecedora de material, contratada por ela, é que alega estar com pagamento atrasado.
A Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Município está adotando as medidas legais para substituir a empresa. A segunda colocada no processo licitatório está sendo chamada a assumir o restante do serviço.
A Prefeitura suspendeu, como determina a legislação, o repasse de uma parcela do pagamento contratual, para a empresa, uma vez que esta necessitaria fazer ajustes na etapa da obra que chegou a ser cumprida. Mas o Município nada tem a ver com atraso da construtora junto a seus fornecedores,
sinaliza. 


Informações Acorda Cidade

*Matéria atualizada às 19h48 para acrescentar a versão da Prefeitura 

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas