FEIRA DE SANTANA @ Simulado de desastre em massa reúne forças de segurança na Fazenda do Menor - Observador Independente

BAHIA

25 de agosto de 2018

FEIRA DE SANTANA @ Simulado de desastre em massa reúne forças de segurança na Fazenda do Menor

Crédito da foto:  Ed Santos/Acorda Cidade




O evento ocorreu no espaço da Fazenda do Menor (Famfs), com mais de 30 vítimas fictícias. Cerca de 500 pessoas atuaram como voluntárias no simulado.

Foi realizado neste sábado (25) o simulado de acidente em massa do Terceiro Congresso de Desastre em Massa (Cidem) de Feira de Santana. A ação contou com a participação de equipes do Corpo de Bombeiros, Exército Brasileiro, Samu, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Graer, Polícia Civil, Polícia Militar, Coelba, entre outros órgãos de segurança.


O evento ocorreu no espaço da Fazenda do Menor (Famfs), com mais de 30 vítimas fictícias. Cerca de 500 pessoas atuaram como voluntárias no simulado. O Terceiro Cidem teve início na última quinta-feira (23) e foi encerrado hoje e reuniu palestrantes e especialistas de mais de 15 países como Japão, Argentina, Peru, Portugal e México. A etapa teórica ocorrerá na Uefs e na Faculdade Unef.


O tenente coronel Júlio Nascimento Silva, do Corpo de Bombeiros da Bahia, explicou a importância da participação do órgão em desastres com múltiplas vítimas.

“O desastre de massa é aquele que tem uma quantidade grande de vítimas e os recursos ficam reduzidos em função do número grande de vítimas. Nesse aspecto, baseado na constituição federal e estadual, é competência do Corpo de Bombeiros atuar nos grandes eventos. Ele entra no cenário para fazer a mitigação, neutralizar e minimizar o andamento do desastre, aplicando uma técnica de gerenciamento de crises. O que também ajuda é o plano de emergência, o plano de ação, da corporação e do município ajuda, porque existem várias convocações”, afirmou.


O coordenador do terceiro Cidem, Jeidson Marques, salientou que o evento correspondeu à expectativa. “Tudo ocorreu bem, e isso é muito gratificante, e nos dá força para continuarmos servindo como exemplo, levando o nome da Bahia e Feira de Santana, mostrando o que há de melhor no Brasil. É uma alegria muito grande e agradeço a todos que colaboraram.”

Para ele, o Cidem, na verdade, é uma oportunidade de integrar forças tanto locais, quanto estaduais, federais e internacionais.

“Tivemos mais de 14 países presentes nesse evento, 65 agências envolvidas, então esse evento foi considerado o maior treinamento de todos. Tivemos nos últimos dois dias atividades de teoria e troca de experiências, e hoje tivemos o simulado com vários cenários de acidente. Um com produtos perigosos, o segundo cenário foi uma ação terrorista com sequestro, e o Bope esteve ajudando com a ação de snippers. O cenário três foi a simulação de um acidente no parque de exposições com grande número de vítimas, em seguida a explosão de um carro-tanque. O cenário seis com a atuação da Interpol, Polícia Federal, DPT Bahia e Sergipe, mais especialistas de 15 países na área de perícia, atuando juntos, e o cenário sete foi o Hospital Geral Clériston Andrade, que recebeu vítimas contaminadas, algo que pode acontecer a qualquer momento e ele tem que estar preparado”.


Ainda conforme Jeidson Marques, o congresso de desastre em massa é um evento complexo, e os outros países não conseguem fazer o treinamento com o mesmo realismo que é feito aqui. “Eles querem vir pra aprender a experiência, e o Japão mesmo sinalizou que veio aprender como a gente faz pra levar para as Olímpiadas”.

A gestora da Coelba, Cleiriane Rodrigues, destacou também a participação da empresa em uma situação de emergência.

“A participação da Coelba é importante porque quando acontece uma situação em uma área urbana, é importante que a empresa acesse esse local e verifique se a rede não tem nenhuma situação de risco e a partir daí todos possam seguir as suas ações. A Coelba primeiro faz uma avaliação porque a nossa rede está presente em todos os locais, e a empresa sempre atua primeiro”, informou a gestora da Coelba.
Ainda de acordo com Cleiriane Rodrigues, a avaliação do evento foi muito positiva. “A gente sai daqui preparado para qualquer situação de risco e é importante o envolvimento de todos os órgãos.”






Com informações e fotos do repórter Ed Santos do Acorda Cidade
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas