PETROLINA @ SERVIÇO SOCIAL DO HDM/IMIP COMEMORA 12 ANOS DA LEI MARIA DA PENHA - Observador Independente

BAHIA

11 de agosto de 2018

PETROLINA @ SERVIÇO SOCIAL DO HDM/IMIP COMEMORA 12 ANOS DA LEI MARIA DA PENHA

Crédito da foto // Anna Monteiro-Ascom HDM/IMIP




Em comemoração aos 12 anos da criação da Lei Maria da Penha, o Serviço Social do Hospital Dom Malan/IMIP de Petrolina trabalhou, esta semana, com as pacientes da instituição a importância da criação desse instrumento legal e legítimo, como forma de reforçar perante a sociedade a garantia de direitos ao público feminino. Foram feitas orientações e a entrega de folders falando sobre os mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher.

Todos os dias a mídia apresenta um quadro de violência assustador. Crianças, mulheres e idosos são as principais vítimas, segundo a Organização Mundial de Saúde, e esse tipo de violência corresponde a aproximadamente 7% de todas as mortes de mulheres entre 15 e 44 anos no mundo. Em alguns países, 69% das mulheres relatam terem sido agredidas fisicamente e até 47% declaram que sua primeira relação sexual foi forçada.

Segundo a assistente social, Aparecida Gonzâlez, houve um aumento significativo no número de denúncias no Brasil e no estado de Pernambuco, as mulheres estão tomando cada vez mais a iniciativa de realizar a denúncia. 

Neste cenário, o trabalho que o Serviço Social realiza promove o empoderamento da mulher, pois elas passam a conhecer a rede de proteção e como os serviços atuam. O Serviço Social também orienta sobre o que fazer em caso de violência. "A mulher precisa ter a segurança de que caso aconteça a violação de direitos ela pode denunciar, porque tem um sistema que a protege", explica.

De acordo com a assistente social Emília Cordeiro, a Lei Maria da Penha classifica a violência doméstica e familiar contra a mulher em física, psicológica, patrimonial, moral e sexual. Em todas essas, é preciso que a vítima denuncie o agressor. O Hospital Dom Malan é referência em saúde no atendimento às mulheres vítimas de violência e o Serviço Social busca sempre trabalhar a temática na unidade hospitalar, oferecendo a este público um atendimento acolhedor e humanizado, com o objetivo também de reduzir novas situações de violência.

Central de Atendimento à Mulher: Ligue 180
Disque Denúncia da Criança e do Adolescente: 100



Anna Monteiro-Ascom HDM/IMIP

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas