SALVADOR @ Alvo de condução coercitiva da PF é assessor de Carletto; vereador do PP é afastado - Observador Independente

BAHIA

30 de agosto de 2018

SALVADOR @ Alvo de condução coercitiva da PF é assessor de Carletto; vereador do PP é afastado

Vivaldo Góis também é presidente do Pros na Bahia; Rodrigo Moreira é acusado de crime eleitoral; Gabinete de Clóvis Ferraz foi alvo de buscas - Foto : Divulgação





Alvo de condução coercitiva no âmbito da Operação Condotieri, deflagrada hoje (30) pela Polícia Federal para desbaratar esquemas de fraude eleitoral em Vitória da Conquista, Vivaldo Góis de Oliveira é assessor do deputado federal Ronaldo Carletto (PP). 

Além de auxiliar do parlamentar, ele é presidente do Pros na Bahia. Segundo a Polícia Federal, uma arma foi apreendida na casa do dirigente. “Muito material foi apreendido. Em Salvador, nenhum valor em espécie. Na casa de um assessor, apreenderam uma arma Taurus. Também foram apreendidos documentos que a gente já esperava”, disse o delegado Daniel Justo Madruga. 

Também integrante do braço político do esquema, o vereador de Conquista, Rodrigo Moreira (PP), foi afastado do cargo. Então candidato em 2016, o pepista teria oferecido emprego a eleitores no novo presídio de Vitória da Conquista, que estava prestes a ser inaugurado, em troca de apoio na campanha e de votos.

O gabinete do ex-deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa, Clóvis Ferraz (PSD), também foi alvo de busca e apreensão.

A operação, com mais de 100 policiais envolvidos, cumpriu 29 mandados de busca e apreensão, 23 mandados de medidas cautelares diversas da prisão e 61 mandados de intimação nos municípios baianos de Vitória da Conquista, Itabuna, Wenceslau Guimarães, Salvador e Lauro de Freitas, além do Rio de Janeiro (RJ) e Cuiabá (MT).

Veja AQUI matéria publicado no site do partido PRÓS que enaltece a figura de Vivaldo Góis
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas