SALVADOR @ Após armar confusão com guardas municipais, militantes da APLB provocam novamente na frente da Câmara; trânsito fica lento - Observador Independente

BAHIA

8 de agosto de 2018

SALVADOR @ Após armar confusão com guardas municipais, militantes da APLB provocam novamente na frente da Câmara; trânsito fica lento

Militantes da APLB fazem manifestação na porta da Câmara (Foto: Divulgação/APLB)




Grupo pede encontro com prefeitura para falar da ação dos guardas e tenta acordo sobre reajuste salarial. Rua Chile foi parcialmente interditada.


Os professores da rede municipal de ensino de Salvador realizam uma manifestação na porta da Câmara de Vereadores, na Rua Chile, no centro da cidade, na tarde desta quarta-feira (8). Por conta disso, segundo a Transalvador, o trânsito é lento na região.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), os militantes querem um encontro com a prefeitura para falar da confusão com guardas municipais, ocorrida na terça-feira (7), durante outra confusão que armaram. O grupo pede também um acordo em relação ao reajuste salarial de 6,8%, uma das reivindições da categoria, em greve há quase um mês.

Com cartazes e placas, os professores se concentram no local desde o início da tarde. O grupo deixa a via parcialmente interditada.

Os professores estão em greve há 28 dias. O movimento começou no dia 11 de julho, após assembleia. Inicialmente, os professores pediam reajuste salarial de 12,41%, entretanto, desceram a proposta para 6,8% durante uma assembleia no dia 17 de julho. Os professores também pedem progressão de carreira e eleição para diretor.

Atualmente, cerca de oito mil professores atuam na rede municipal de ensino, sendo aproximadamente dois mil contratados pelo Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) - contrato por tempo determinado: dois anos que podem ser renovados por mais dois.
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas