ARTIGO @ É possível “retirar” a queixa nos crimes envolvendo violência doméstica contra mulher? - Observador Independente

BAHIA

9 de septiembre de 2018

ARTIGO @ É possível “retirar” a queixa nos crimes envolvendo violência doméstica contra mulher?

A renúncia à representação nos crimes que se aplica a Lei Maria da Penha.
Crédito da foto - Padrão OBI / Divulgação   




Publicado por Augusto César Macedo Silva



Muitos ficam em dúvida quanto à possibilidade de se renunciar à representação (popularmente conhecida como “retirar a queixa”), quando ao crime são aplicadas as disposições da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.343/06).

​Essa dúvida é pertinente, vez que o artigo 16 dessa lei prevê que é possível a renúncia à representação, desde que feita pela ofendida, em audiência especial para esta finalidade, perante o juízo competente, antes do recebimento da denúncia, e ouvido o Ministério Público.

Todavia, se o crime for de lesão, pouco importando a extensão desta, praticado contra a mulher no ambiente doméstico, não caberá a renúncia à representação, por se tratar de crime de ação penal pública incondicionada, isto é, não depende de representação da vítima, sendo o interesse e a legitimidade tão somente do Ministério Público, conforme decidiu o STF, na ADIn 4.424/DF, D.O.U. 17.02.12.




Augusto César Macedo Silva
Advogado OAB/SP 390487 www.augustomacedo.com.br

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas