CAIRU @ TCM vê “múltiplas irregularidades” em repasses milionários e rejeita contas do prefeito de Cairu - Observador Independente

BAHIA

26 de septiembre de 2018

CAIRU @ TCM vê “múltiplas irregularidades” em repasses milionários e rejeita contas do prefeito de Cairu

Crédito da foto : Reprodução PMCairu  





O Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM-BA) encontrou múltiplas irregularidades em repasses milionários feitos pela prefeitura de Cairu e rejeitou as contas do prefeito Fernando Brito (PSD) referentes ao exercício de 2013.

O julgamento foi feito nesta quarta-feira (26) e só foi possível após análise do que foi feito com o valor total de R$ 7.486.588,08 que foi transferido pela prefeitura, no mesmo ano, ao Instituto de Desenvolvimento Social e Tecnológico (Instituto Universo) e ao Instituto Social de Apoio ao Desenvolvimento e Emprego (Isade). 

O relator do parecer sobre as contas municipais, conselheiro substituto Antônio Emanuel de Souza, multou o gestor em R$4 mil pelas irregularidades contidas no relatório.

No caso do Instituto Universo, foram repassados R$5.325.418,21 mediante cinco Termos de Parceria, sendo constatada pela área técnica a burla ao concurso público, já que os termos foram celebrados com o objetivo de promover a terceirização de mão de obra.

Em relação aos R$2.161.169,87 que foram repassados ao Isade, em razão de quatro Termos de Parceria, a relatoria considerou que não foram apresentados diversos comprovantes e documentos de caráter obrigatório, o que comprometeu o mérito das contas.

O relator lembrou que os contratos, tanto com o Instituto Universo quanto com o Isade já foram analisados pelo TCM na prestação de contas dos recursos repassados, e julgados ilegais. O então prefeito, Fernando Antônio Brito, foi denunciado ao Ministério Público Estadual para a promoção de ação judicial por improbidade administrativa, vez que ficou claro que o objetivo dos contratos foi a terceirização de mão de obra, de forma ilegal, e com o mero objetivo de burlar o indispensável concurso público para a contratação pessoal para prestar serviço à população.

Fernando Brito foi multado, em cada um dos processos, em R$ 30 mil, e de forma solidária com os dois presidentes dos institutos, terá que devolver aos cofres municipais um total de R$ 1,6 milhão.

Além disso, o relatório técnico registrou, como ressalvas, a existência de déficit orçamentário, baixa cobrança da dívida ativa do município, falhas nos demonstrativos contábeis e publicação com atraso do relatório resumido de execução orçamentária referente ao 1º bimestre.

Cabe recurso da decisão.

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.
O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.
VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas