ELEIÇÕES 2018 @ Haddad vaiado por petistas ao citar viúva de Eduardo Campos em PE - Observador Independente

BAHIA

22 de septiembre de 2018

ELEIÇÕES 2018 @ Haddad vaiado por petistas ao citar viúva de Eduardo Campos em PE

Crédito da foto : Folha 


Por: Folhapress



O candidato Fernando Haddad (PT) foi vaiado por militantes petistas, em Pernambuco, na manhã deste sábado (22), ao mencionar, durante discurso, os nomes de Renata Campos e João Campos, viúva e filho do ex-governador Eduardo Campos respectivamente. Em outros trechos de sua fala, sobretudo quando citava o ex-presidente Lula, foi bastante aplaudido.

No comício, parte do público também vaiou por várias vezes o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB). Em coro, o pessebista foi chamado de golpista. Toda vez que o locutor citava Paulo, vaias eram ouvidas. 

O governador apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016. Em Pernambuco, a vereadora Marília Arraes (PT) acabou sendo retirada da disputa após acordo nacional entre o PT e o PSB. Ao lado de Câmara, que fez campanha para o tucano Aécio Neves no segundo turno da disputa eleitoral de 2014, Fernando Haddad destacou que o Brasil começou a se desestabilizar quando o resultado da eleição não foi aceito.

"Eles não aceitaram até hoje a derrota de 2014. E desde lá, só fizeram bagunça com o Brasil", discursou. De olho no segundo turno das eleições, Haddad afirmou que não era hora de revanchismo. 
"Vamos nos reconciliar com o Brasil. Muita gente percebeu o que vem acontecendo. Uma parte grande da população foi levada ao erro em 2016 e hoje as pessoas acordaram", ressaltou.

O petista disse que o Nordeste já sabe o resultado das eleições. "O Nordeste já é festa. Já sabe que nós vamos para cima. Que nós vamos segurar o Brasil integrado, sem raiva de ninguém e com muito amor." Em entrevista após o ato, ele informou que não leu a carta escrita por Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em que o tucano pede união do povo contra candidatos radicais. "Não li a carta. É um gesto de apoio a Geraldo. É natural. Ele tem uma ligação muito grande com o Geraldo. Mesma ideia, mesmo estilo. É natural o apoio."

O candidato também comentou a fala de Paulo Guedes, o guru do candidato Jair Bolsonaro (PSL), sobre "o voto programático de bancada". "Olha, eu penso que nós não podemos tentar resolver na base do autoritarismo e da violência. Democracia deve ser celebrada a todo tempo. A ampla aliança de primeiro e segundo turno vai formar a base de sustentação para os projetos que eu e Lula definimos."

No discurso, Haddad lembrou uma história contada pelo governador da Bahia, Rui Costa. "Lá na Bahia, uma mulher disse para o Rui Costa uma frase que eu repito em todo comício. Ela falou assim: 'Rui, nem golpe esses caras sabem dar. Eles afastaram a Dilma, prenderam o Lula, mas esqueceram de prender o povo'". No início da tarde, o candidato seguiu para Caruaru, no agreste pernambucano. Neste domingo (23), realiza ato de campanha em Petrolina, no sertão.

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas