ELEIÇÕES 2018: Justiça proíbe propagandas de Rui com atores, locutores e apresentadores - Observador Independente

BAHIA

5 de septiembre de 2018

ELEIÇÕES 2018: Justiça proíbe propagandas de Rui com atores, locutores e apresentadores

Reprodução//Redes sociais

A juíza Ana Conceição Barbuda Sanches Guimarães Ferreira, do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia, deferiu pedido da coligação encabeçada pelo candidato ao governo do Estado, José Ronaldo (DEM), determinando a retirada da propaganda eleitoral do PT que utiliza apresentadores, atores e locutores. Na decisão desta quarta-feira (5), a magistrada aponta que a interferência configura-se abuso de poder econômico, já que o adversário não dispõe dos mesmos mecanismos de propaganda.

A propaganda do governador Rui Costa faz críticas ao presidente Michel Temer (MDB). A juíza ainda proibiu os trechos que um locutor falava sobre o congelamento de verbas para a educação, saúde e programas sociais. Também foi suspensa a exibição da participação do ator que se intitulava “Zé Correria”.

“Deste modo, em razão dos representados terem exibido programa eleitoral irregular, no qual os candidatos não utilizaram o tempo determinado pela lei para que eles, pessoalmente ou por meio de caracteres, fotos, jingles, clipes com música ou vinhetas, apresentassem propostas, razão pela qual os atores e apresentadores contratados e aqui impugnados devem ser coibidos de reaparecerem na propaganda eleitoral gratuita. Sendo assim, deve a mesma deixar de ser veiculada mediante decisão judicial, em razão da violação ao art. 54 da Lei n. 9.504/97 e do art. 67 da Res. TSE n. 25.551/17”, informa a decisão.

“Não é justo que a coligação autora não utilize destes expedientes, e a deles se beneficiem, exibindo programa irregular”, pontuou o advogado da coligação, Ademir Ismerim.

Outra propaganda, com os mesmos formatos também foi proibida: a que cita o pedido da ONU me torno da candidatura do ex-presidente Lula.

Bocão News

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas