JUAZEIRO @ AMBULÂNCIAS DO SAMU ESTÃO ABANDONADAS E SUCATEADAS NO PÁTIO DA PREFEITURA - Observador Independente

BAHIA

18 de septiembre de 2018

JUAZEIRO @ AMBULÂNCIAS DO SAMU ESTÃO ABANDONADAS E SUCATEADAS NO PÁTIO DA PREFEITURA

Crédito da foto : Reprodução TV São Francisco      



Mais de dez ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Juazeiro, estão abandonadas e em proceso de sucateamento, no pátio da prefeitura da cidade. No local, há ambulâncias faltando motor, sem os pneus, sem janelas e faltando os faróis. Além disso, dentro de alguns veículos há seringas abandonadas.

O Ministério Pùblico da Bahia (MP-BA) instaurou inquérito em 2015 para investigar denúncia de má prestação do serviço. Dois anos depois, apresentou relatório onde apontava os problemas e pedia ao município que se manifestasse. A prefeitura, segundo o MP-BA, nunca respondeu. Ontem segunda feira (17), representantes do órgão e do município se reuniram pra discutir a situação.

De acordo com o MP-BA, dentre as irregularidades apontadas estão a falta de nomeação de coordenadores médicos e de enfermagem, falta de manutenção nas unidades móveis de sáude e o funcionamento do Samu com 75 % da frota. Além do MP, moradores da cidade também reclamam do serviço. Em julho deste ano, Maria Josélia dos Santos, mãe de sete filhos, e que aguardava há sete anos por uma cirurgia no coração, passou mal em casa. De acordo com a família, o Samu foi acionado, não chegou a tempo e Josélia morreu sem receber atendimento.

“Assim que o vizinho dobrou o beco, a Samu apontou. Aí eu falei para os meninos: ‘Diga que volte, porque ela já foi’”, conta a mãe de Josélia.

Além das reclamações de demora na resposta aos chamados, o atendimento do Samu também é prejudicado pela superlotação dos hospitais no município. Quando falta leito, o paciente acaba ficando acomodado na maca da ambulância que o levou até o hospital, e a ambulância fica temporariamente sem a maca pra poder fazer outros atendimentos. Foi o que aconteceu com dona Josefa, de 87 anos.

“Não tinha maca. Não tinha como atender. Tinha ambulância, mas todas as macas estavam presas no hospital. A resistência dela é muito menor em relação a uma pessoa mais jovem, então ela precisa de um atendimento mais rápido. Para conseguir tirar da cama e levar para o carro foi um verdadeiro sacrifício. Mas depois de muito esforço, tentando com duas, três pessoas, nós conseguimos deitar o banco do carro, colocar alguns travesseiros para poder simular uma cama, uma maca, e conseguimos levar no carro”, contou Venâncio Vieira.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que o Samu tem sete ambulâncias em funcionamento, sendo cinco unidades de suporte básico e duas unidades de suporte avançado, equipadas com UTI, além de uma motolância. Segundo a secretaria, essa frota é suficiente para fazer o atendimento das 60 ocorrências registradas diariamente na cidade.

A nota diz ainda que o Samu faz a manutenção das ambulâncias, mas que a cada quatro ou cinco anos, o Ministério da Saúde deve trocá-las, e que o município vai receber nos próximos dias quatro novas ambulâncias para renovação da frota. Com relação aos veículos sucateados, o município diz que está aguardando o posicionamento do Ministério da Saúde, para saber se eles vão ser encaminhados ao pátio do ministério ou se serão leiloados.



G1Bahia

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.
O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.
VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas