JUAZEIRO @ MEMBROS DO CEMAFAUNA PARTICIPAM DE OFICINA DO PAN HERPETOFAUNA DO NORDESTE EM SALVADOR - Observador Independente

BAHIA

6 de septiembre de 2018

JUAZEIRO @ MEMBROS DO CEMAFAUNA PARTICIPAM DE OFICINA DO PAN HERPETOFAUNA DO NORDESTE EM SALVADOR

Crédito da foto Ascom-Cemafauna / Divulgação 




Entre os dias 27 e 31 de agosto, membros do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga) participaram da oficina de planejamento do Plano de Ação Nacional para Conservação dos Répteis e Anfíbios Ameaçados de Extinção do Nordeste – PAN Herpetofauna do Nordeste promovido pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Répteis e Anfíbios (RAN), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O evento aconteceu nas dependências da Universidade Católica do Salvador (UCSAL), em Salvador-BA.

O Curador da Coleção Científica de Herpetofauna do Museu de Fauna da Caatinga, professor Leonardo Ribeiro, as analistas ambientais, Thamires Freitas e Geane Limeira foram os membros que representaram os coordenadores do Cemafauna Caatinga, professor Luiz Cezar Pereira e Patricia Avelo Nicola. 

Eles participaram dessa oficina que discutiu, de acordo com o ICMBio, políticas públicas e metas governamentais que identificam e norteiam ações prioritárias para combater práticas que ameaçam e põem em risco espécies e seus habitats. O Cemafauna atuará juntamente ao RAN para as ações em favor das espécies ameaçadas de extinção.

Conforme descrito pelo ICMBio, o Plano de Ação Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção - PAN é um instrumento de gestão e de políticas públicas, construído de forma participativa, a ser utilizado para o ordenamento e a priorização de ações para a conservação de espécies e ambientes naturais, com um objetivo estabelecido em um horizonte temporal definido.

O primeiro PAN foi elaborado em 2004 pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA, antes mesmo da criação do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade - ICMBio. Com a criação do ICMBio, pela Lei nº 11.516, de 28 de agosto de 2007, a conservação de espécies ameaçadas e do Patrimônio Espeleológico passou a ser sua competência, regulamentada pelo Decreto nº 8.974, de 24 de janeiro de 2017, que atribui ao Instituto elaborar, aprovar e implementar Planos de Ação Nacional para a conservação e o manejo das espécies da fauna ameaçadas de extinção no país. Atualmente, existem 46 PANs vigentes, contemplando 743 espécies ameaçadas.


Ascom Cemafauna

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas