MEDEIROS NETO @ Operação Hera # Justiça Federal condena seis pessoas por desvio de verbas - Observador Independente

BAHIA

11 de septiembre de 2018

MEDEIROS NETO @ Operação Hera # Justiça Federal condena seis pessoas por desvio de verbas

Crédito da foto / Medeiros Dia Dia/Reprodução



A decisão fixa a pena de 20 anos de prisão para o ex-secretário de educação Rogério Reis Costa em regime fechado.




O juiz federal Guilherme Bacelar Patrício de Assis, titular da Justiça Federal em Teixeira de Freitas, condenou seis pessoas à prisão por desvio de recursos do Fundeb na cidade de Medeiros Neto, no sul baiano.

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou o ex-secretário de Administração Nilson Vilas Boas Costa Júnior, filho do ex-prefeito Nilson Vilas Boas Costa; a ex-secretária de Educação Aleny Brito Lacerda Sousa; Rogério Costa, irmão de Nilson Júnior e também ex-secretário de Administração; Suzete Ferreira Fortunato, ex-chefe do departamento de Recursos Humanos da prefeitura; Ranieri Santos Lima, ex-chefe de gabinete da prefeitura; e Jucelsa Brito Lacerda, então secretária e irmã de Aleny Brito. O grupo é investigado na Operação Hera, deflagrada pela Polícia Federal em 2016, por peculato e organização criminosa.

De acordo com a investigação, no período compreendido entre os anos de 2013 e 2015, a organização desviou R$ 501 mil do recursos da educação. O MPF aponta que o esquema criminoso foi arquitetado pelos ex-secretários de Administração do município de Medeiros Neto, os Rogério Costa e Nilson Júnior, e pela ex-secretária de Educação Aleny Brito. Também tiveram participação, de acordo com o MPF, Ranieri Lima, Suzete Fortunato e Jucelsa Brito. 

Segundo o MPF, eram inseridas, de forma indevida e sem prévia autorização legal, sob variadas rubricas, complementações salariais nos contracheques de servidores municipais ligados à área de educação [professores e diretores de escolas], sem que estes tivessem conhecimento ou anuíssem com tais inserções. "Após a entrada desses valores nas contas dos servidores, eram efetuadas ligações a fim de que eles sacassem as quantias indevidamente creditadas a maior e as repassassem, em espécie, à secretária de Educação Aleny Brito Lacerda Sousa, a seu motorista Raniery Santos Lima ou a Jucelsa Brito Lacerda, irmã de Aleny", frisa um trecho da denúncia.

Nesta segunda-feira (10), o magistrado Guilherme Assis condenou cinco dos seis acusados à prisão em regime fechado. A decisão fixa a pena de 20 anos de prisão para o ex-secretário Rogério Reis Costa em regime fechado; 23 anos em regime fechado para Nilson Júnior; 12 anos de prisão em regime fechado para Aleny Brito; oito anos de prisão em regime fechado para Suzete Fortunato; oito anos também em regime fechado para Raniery Lima; e quatro anos em regime semiaberto para Jucelsa Brito.



Aparecido Silva / Bocão News

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas