PETROLINA @ ESTUDANTES DA UNIVASF E PROFISSIONAIS DE SAÚDE ORGANIZAM AÇÃO DE COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER - Observador Independente

BAHIA

2 de septiembre de 2018

PETROLINA @ ESTUDANTES DA UNIVASF E PROFISSIONAIS DE SAÚDE ORGANIZAM AÇÃO DE COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Crédito do cartaz Ascom-Aristotele Cardona Junior - UNIVASF   





A Campanha de Combate à Violencia contra a Mulher organizada pela Residencia de Medicina de Família e Comunidade e pela turma XXVII de Medicina da UNIVASF, com o apoio dos profissionais de Saúde da AME Bernardino Campos Coelho, do bairro Vila Eduardo, chama a atenção para o acolhimento das denúncias.

Na atividade, Agentes Comunitárias de Saúde, Médicos e estudantes dos cursos de Medicina e Enfermagem saíram pelas ruas do bairro conversando com moradores e comerciantes e distribuindo materiais informativos sobre os instrumentos e locais de acolhimento e apoio a mulheres em situação de Violência no nosso município.

"Infelizmente, ainda há um desconhecimento por parte da população sobre as possibilidades de apoio ofertadas a mulheres que sofrem violência doméstica em Petrolina. Muitas delas não sabem que podem ser acolhidas pelos médicos e enfermeiros das suas Unidades de Saúde, tampouco sabem da existência de espaços como o CEAM (Centro Especializado de Atendimento à Mulher) que conta com advogadas, psicólogas e assistentes sociais preparadas para dar assistência gratuita e especializada nesses tipos de situação.", ressalta Wandson Padilha, preceptor da residência de Medicina de Família e Comunidade da UNIVASF. 

"Esse desconhecimento faz com que muitas ainda sofram sozinhas e tenham ainda mais dificuldade de sair das situações de machismo, violência e opressão a que são submetidas.", completa.

Mulheres que desejem esse apoio, devem se dirigir às Unidades de Saúde da Família/AME's de seus bairros, ou procurar diretamente o CEAM (localizado ao lado do SESI e do SENAC) através do telefone: (87)3867-3516, onde contarão com apoio jurídico, psicológico e social especializado.

Para denunciar o agressor, a mulher deve ligar 180 ou procurar a Delegacia da Mulher, localizada atrás do Banco do Brasil, no centro. Podendo também entrar em contato pelo telefone (87)3862-0028.



Ascom-Aristotele Cardona Junior
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas