PETROLINA @ UPAE/IMIP PROMOVE PALESTRA COM O GRUPO SUICIDOLOGIA NO VALE - Observador Independente

BAHIA

20 de septiembre de 2018

PETROLINA @ UPAE/IMIP PROMOVE PALESTRA COM O GRUPO SUICIDOLOGIA NO VALE

Crédito da foto : Ascom UPAE/IMIPetrolina / Divulgação     




Com o objetivo de trabalhar o "Setembro Amarelo" com os funcionários e colaboradores, a Unidade de Pronto Atendimento e Atenção Especializada de Petrolina (UPAE/IMIP) promoveu, na noite de terça-feira (18), uma palestra com o Grupo Suicidologia no Vale (GSV). O palestrante Silvio Guimarães, que é psicanalista e suicidólogo, levou ao público da Unidade uma forte reflexão sobre o tema "Comportamento suicida: um desafio na emergência".

Durante uma hora ele falou sobre o suicídio como questão de saúde pública, os aspectos que o envolve, apresentou dados, mostrou fatores predisponentes [de risco] e precipitantes [desencadeantes/gatilhos], quais os principais transtornos mentais envolvidos, fatores de proteção, sinais de alerta, manejo [o que fazer e que não fazer], a importância do acolhimento e avaliação de risco, as condutas e como agir.

"Primeiro a gente precisa diminuir os tabus que envolvem o suicídio e entender que falar sobre o assunto de forma séria e comprometida é fator de proteção. Também precisamos aprender a ouvir sem julgar, acolher e fazer os encaminhamentos certos dentro da rede sócio assistencial, desburocratizando o acesso aos serviços. Acho que esse já seria um bom começo", acredita o profissional.

Para se ter uma ideia, cerca de 1 milhão de pessoas no mundo morrem por suicídio todo ano. No Brasil, em 2012, houve 11.821 suicídios oficialmente registrados, e isso significa 1 suicídio a cada 45 minutos. Quando os números se referem às tentativas, é ainda mais alarmante: 1 tentativa a cada 2 ou 3 segundos. O suicídio é a 4º causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos no Brasil e a tentativa de suicídio é a 6º maior causa de incapacitação de pessoas entre 15 e 44 anos.

Por outro lado, existe um dado que merece ressalva: 75% dos tentantes dão sinais de alerta, sejam eles verbais ou comportamentais, diretos ou indiretos. "Por isso, nós enquanto seres humanos precisamos estar mais atentos e disponíveis ao outro e os serviços de saúde mais preparados para lidar com essa demanda. Muitas vidas podem ser salvas com algumas mudanças de padrão", defende.

"Nesse aspecto, o que fizemos na UPAE é de grande importância, pois valeu como momento de reflexão e aprendizado. Os profissionais de saúde precisam se capacitar e se sensibilizar com relação ao suicídio, assim como devem ser cuidados como forma de proteção e prevenção", ressaltou em sua fala.

Em nome da Unidade, a supervisora do Serviço Social, Nazaré Cunha, agradeceu: "Ficamos muito felizes com a disponibilidade do GSV, na pessoa de Silvio, que já é nosso parceiro, e desejamos que mais momentos assim aconteçam, pois, a sensibilização deve ser constante".


Ascom UPAE/IMIPetrolina

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas