SALVADOR @ Comércio pode retomar movimento típico de décadas passadas - Observador Independente

BAHIA

6 de septiembre de 2018

SALVADOR @ Comércio pode retomar movimento típico de décadas passadas

De acordo com o presidente da Associação Comercial da Bahia (ACB), Adary Oliveira, o prefeito se comprometeu a levar 80% da administração municipal para o Comércio.
Foto : Tácio Moreira/Metropress






Edifícios históricos em ruínas e ruas desertas pouco depois das 17h no Comércio, em Salvador, induzem à reflexão: será que um dos bairros mais antigos da capital baiana está na rota de investimentos do poder público? O questionamento é frequente entre os trabalhadores da região e tem se intensificado nos últimos tempos, afinal, iniciativas em prol da localidade não são vistas pela população. 

O desaquecimento do bairro — que já foi um grande centro financeiro da cidade — começou nos anos 1970. Quatro décadas depois, restou ao Comércio a fama de abandonado. “A gente se sente inseguro também. Trabalhei durante um ano e alguns meses no Comércio. Uma das ruas principais [Miguel Calmon] tem mais movimento, mas as de dentro... são bem assustadoras da manhã até o fim da tarde”, contou a estudante Stephanie Ferreira. 

A gestão do prefeito ACM Neto (DEM) diz, porém, que o bairro está prestes a ser beneficiado com uma série de intervenções através do programa Salvador 360. Entre elas, a transferência de secretarias do Município para casarões que hoje estão inabitados.

De volta ao foco da cidade

De acordo com o presidente da Associação Comercial da Bahia (ACB), Adary Oliveira, o prefeito se comprometeu a levar 80% da administração municipal para o Comércio. 

“É um regozijo. Já pensou você colocar 50 mil pessoas no bairro e mais os contribuintes que vão frequentar essas repartições lá? Então, estamos encarando isso como uma verdade e estamos procurando colaborar com o prefeito”, disse em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, semana passada. 

Transferência será gradual 

O secretário municipal de Gestão, Thiago Martins Dantas, disse que a transferência vai ser feita a partir do fim deste ano. Ele contou que as pastas de Cultura, Cidade Sustentável e Desenvolvimento Urbano devem ser as primeiras a chegar no Comércio. 

“A gente estaria mapeando oportunidades de locação para trazer demais unidades que não estão ali naquele eixo, fazendo com que a região possa receber incentivo no sentido de buscar essa valorização”, afirmou.



metro1
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas