SALVADOR @ Justiça aceita pedidos do MP-BA em caso de médica que matou professora após acidente na Pituba - Observador Independente

BAHIA

20 de septiembre de 2018

SALVADOR @ Justiça aceita pedidos do MP-BA em caso de médica que matou professora após acidente na Pituba

Crédito da foto : Reprodução da internet autor desconhecido




A Justiça baiana não aceitou os argumentos da defesa da médica Rute Nunes Oliveira Queirós, responsável pelo acidente que provocou a morte da professora de balé Geovanna Alves Lemos, no dia 15 de março deste ano, no bairro da Pituba, em Salvador. A ação penal proposta pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) foi analisada pelo o juiz da 16ª Vara Criminal, Augusto César Silva Britto, no último dia 17. Todos os pedidos e alegações feitos pelo órgão foram acolhidos.

Geovanna estava na garupa de um mototáxi e morreu depois de ser atingida pelo Kia Sportage, conduzido pela médica. A médica foi indiciada por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e por lesão corporal culposa, já que o mototaxista ficou ferido no acidente. 

O inquérito conduzido pela delegada Maria Andrade, plantonista da 16ª Delegacia (Pituba), foi encaminhado ao MP-BA em maio deste ano. O laudo concluiu que foi um acidente e não houve intenção da médica de matar a professora de dança e ferir o moto boy. Geovanna e o mototaxista estavam de capacete no momento da batida.

“Uma grande vitória para os familiares da vítima. Acolhendo exatamente o que Ministério Público colocou, que ela estava no celular, que evadiu do local, que não prestou socorro, que foi imprudente e matou culposamente uma pessoa, portanto deve responder”, disse  o advogado Hermano Gottschall.

O juiz definiu que audiência de instrução e julgamento acontecerá às 10h, no dia 07 de fevereiro de 2019, quando serão ouvidas testemunhas.

A decisão

O juiz, em sua decisão, acessada pela reportagem, resolveu rejeitar “a preliminar de atipicidade ou mesmo de ausência de justa causa arguida pela Defesa, uma vez que o Caderno Inquisitivo se encontra suficientemente instruído com os elementos de prova (oral e técnico) para a propositura da Ação Penal em tela”. 

O juiz também rejeitou “as preliminares de ilegitimidade do Ministério Público e de incompetência deste Juízo, em face do crime de lesão corporal culposa no trânsito atribuído à denunciada”. 

A defesa da médica chegou a argumentar que o mototaxista não atendia às normas administrativas do município para atuar na profissão. Para o juiz, “tal argumento da acusada foge à instância penal, no que concerne, prima facie, à ausência de contribuição da vítima para a ocorrência do ilícito de natureza penal, ora em apuração, salientando-se a independência das esferas jurídicas penal, civil e administrativa, bem como o teor da denúncia, através da qual o Dr. Promotor de Justiça somente imputa o homicídio culposo e a lesão corporal culposa à Rute”.

Em seu parecer, o MP-BA afirmou que o mototaxista não contribuiu para a ocorrência do acidente, sendo a médica “a única responsável pelo evento”.

Outras ações

A médica também é alvo de ações cíveis de reparação por danos morais. Os autores são os pais da professora, os quais pedem pensão vitalícia, já que Geovanna era filha única e sustentava a família. A primeira audiência referente a essas ações aconteceu na quarta-feira (19), mas a médica não compareceu ao Fórum Ruy Barbosa, no bairro de Nazaré. Como não houve nenhuma justificativa, Rute será intimada por oficial de justiça.




Texto : Adelia Felix / Bocão News 

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas