MARAGOJIPE @ Casal é preso suspeito de envenenar mãe e filhas e população cerca delegacia em protesto - Observador Independente

BAHIA

12 de octubre de 2018

MARAGOJIPE @ Casal é preso suspeito de envenenar mãe e filhas e população cerca delegacia em protesto

Suspeita de envenenar mãe e filhas no recôncavo baiano é presa em Conceição da Feira
Crédito da imagem / BATV – Salvador





Conforme a Polícia Civil, vítimas foram envenenadas através de um inseticida de uso agrícola. Motivação do crime ainda não foi descoberta.

Um casal foi preso, na tarde desta quinta-feira (11), suspeito de envenenar uma mulher e as duas filhas dela em Maragogipe, no recôncavo baiano. Ao saber das prisões, um grande número de moradores da cidade cercou a delegacia para pedir justiça. Os portões da unidade policial foram fechados.
Delegacia de Maragogipe cercada por moradores pedindo justiça — Foto: Jony Torres/TV Bahia


Os presos foram identificados como Elisângela Almeida Oliveira e o marido Valci Boaventura Soares. Eles estavam em casa quando tiveram um mandado de prisão temporária cumprido. A polícia ainda não divulgou o que pode ter motivado o crime.

No entanto, as investigações apontam que o casal estava coagindo testemunhas para que não dessem informações, e destruindo provas que poderiam revelar o envolvimento deles nos crimes. O casal será ouvido na delegacia ainda na tarde desta quinta.
Delegacia de Maragogipe cercada por moradores pedindo justiça — Foto: Jony Torres/TV Bahia



Conforme a Polícia Civil, o resultado do laudo da exumação dos corpos das vítimas apontaram as elas foram envenenadas com um inseticida de uso agrícola. Mãe e filhas morreram em um intervalo de 15 dias, entre o final de julho e o início de agosto, após apresentarem mal-estar com sintomas parecidos. O cachorro de estimação das vítimas também morreu. O pai das meninas é o único sobrevivente da família.

Caso
Mãe e filhas morreram após mal-estar — Foto: Reprodução/TV Bahia


A primeira morte registrada foi a de Greicy Kelly, 5 anos, no dia 30 de julho. A menina chegou a ser levada para um hospital na cidade de São Félix, ao lado de Maragogipe, mas não resistiu.

Em seguida, no dia 6 de agosto, a irmã dela, Ruth Santos da Conceição, de 2 anos, também passou mal. No dia 13 de agosto, a mãe das meninas, Adriane Ribeiro Santana Santos, também teve um mal-estar. As duas foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maragogipe, mas também não resistiram.

O pai das crianças, identificado como Jeferson Brandão, já foi ouvido pela polícia. De acordo com o delegado Marcos Veloso, o homem estava abalado e negou envolvimento nas mortes.

A Polícia Civil investigou se um líquido e um chocolate poderiam ter provocado a morte das vítimas. O material foi encontrado na casa da família e passou por testes. Os laudos detectaram a presença do inseticida agrícola nas amostras.

No dia 27 de agosto, a Justiça autorizou o pedido de exumação do corpo da menina de 5 anos, que foi realizado no dia 5 de setembro pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). A irmã dela e a mãe, também tiveram os materiais analisados.
Meninas morreram com intervalo de uma semana — Foto: Reprodução/TV Bahia

Como ela foi a primeira a morrer, o caso dela foi classificado como morte natural. Só após o óbito da irmã e da mãe foi que a polícia passou a suspeitar de envenenamento.

Inicialmente, a polícia tinha divulgado apenas a exumação de Greicy Kelly. No entanto, durante a realização do procedimento, o delegado Marcos Veloso, responsável pela investigação, informou que a irmã da menina, Ruth Santos da Conceição, de 2 anos, e a mãe Adriane Ribeiro Santana Santos, também seriam exumada.

O procedimento foi realizado no Cemitério de Nagé, povoado de Maragogipe, onde a família foi enterrada. Não foi preciso fazer a remoção dos corpos. Os técnicos colheram amostras no local e levaram para análise. Os laudos das exumações apontam que as três vítimas foram envenenadas.

Sete pessoas, entre parentes e conhecidos das vítimas, foram ouvidas na delegacia de Maragogipe, numa acareação realizada em 21 de setembro. Os convocados prestaram depoimento juntos, ao delegado Marcos Veloso, titular da cidade. O conteúdo dos depoimentos não foi divulgado.




g1bahia

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.
O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.
VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas