PETROLINA @ ESPETÁCULO DE DANÇA 'CHÃO' FARÁ GRANDE TEMPORADA NA CIDADE - Observador Independente

BAHIA

19 de octubre de 2018

PETROLINA @ ESPETÁCULO DE DANÇA 'CHÃO' FARÁ GRANDE TEMPORADA NA CIDADE

Crédito do cartaz :: Ascom / Cia Balançarte / Divulgação     




Inicia nesse sábado (20) uma grande temporada do espetáculo Chão, solo da bailarina Fernanda Luz, que segue até o dia 30. Serão ao todo 16 apresentações gratuitas no Teatro Dona Amélia, entre sessões abertas ao público e outras voltadas para estudantes da rede pública de ensino. Criado a partir de signos da cultura indígena, o trabalho lança reflexões sobre questões dos povos originários.

O projeto "Chão: a escola em uma volta às raízes" é mais uma realização da Cia. Balançarte, que há 12 anos desenvolve ações de dança na região. Aos sábados e domingos, dias 20, 21, 27 e 28, as sessões são abertas ao público com entrada gratuita. Iniciando a apresentação sempre às 20h, a bilheteria abre uma hora antes para a distribuição das senhas.

Para a bailarina e diretora Fernanda Luz, realizar uma temporada desse trabalho é muito importante para reafirmar o discurso da obra e mais uma vez levar para cena suas vivências com os povos indígenas. "Fazer Chão sempre é uma grande aprendizagem. É um espetáculo ímpar em nossas vidas, tanto no que se refere a questão artística, quanto humana. As cenas apresentadas são super sensíveis e provocadoras ao mesmo tempo. Chão é luta, resistência, vida, resiliência e aprendizagem", afirma.

Além de apresentações abertas, o projeto terá ações educativas para jovens que estudam na rede pública. O grupo vai receber cerca de 13 escolas no teatro, atendendo mais de 4.800 alunos que receberão gratuitamente os ingressos e o transporte. Nos dias 23, 25, 26 e 31, serão agendadas sessões às 10h e 15h. Já nos dias 24 e 30, às 10h e 20h. Após assistir a obra, haverá um bate-papo dos estudantes com os artistas e o historiador Antônio Carvalho, onde se discute sobre as temáticas da criação e processos artísticos.

O também diretor Antonio Pablo acredita nesse diálogo com as escolas pelo potencial da arte para a formação social e construção do senso crítico. "Sem dúvida nenhuma o trabalho vai provocar um estranhamento e, juntos, vamos desenraizar questões, transformando o teatro em sala de aula, porque a arte e a educação caminham juntas, ou pelo menos deveriam", comenta.



 Ascom / Cia Balançarte

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas