PIADA JURÍDICA @ Envolvido no furto ao Banco Central de Fortaleza terá redução de pena mesmo sem ter sido preso - Observador Independente

BAHIA

9 de octubre de 2018

PIADA JURÍDICA @ Envolvido no furto ao Banco Central de Fortaleza terá redução de pena mesmo sem ter sido preso

Caso ocorreu em 2005; acusado, que continua foragido, ficará três anos a menos na prisão
Crédito da foto : Divulgação 





Um dos envolvidos no furto do Banco Central do Brasil, em Fortaleza (CE), vai ter a pena reduzida sem nunca ter sido capturado.

A defesa de Antônio Artenho da Cruz, conhecido como "Bode", recebeu ontem (8) a notícia de que a Justiça decidiu pela extinção da punibilidade pelo crime de formação de quadrilha. Assim, Artenho ficará três anos a menos na prisão. No entanto, o acusado continua foragido pelos delitos de lavagem de dinheiro e furto qualificado.

Em junho de 2017, Artenho já havia tido uma redução de pena determinada pelo STJ, de 27 anos e sete meses, para 13 anos de prisão. Com a nova decisão, a previsão é que ele deva passar dez anos na cadeia, caso seja capturado.

Artenho fez parte da quadrilha que furtou mais de R$ 164 milhões do Banco Central de Fortaleza, em agosto de 2005. Até 2015, 133 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal por participação no crime. Destas, 94 foram condenadas.

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.
O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.
VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas