SALVADOR @ João Leão diz que “dessa vez” PP não abre mão de indicar nome para presidência da AL-BA - Observador Independente

SALVADOR @ João Leão diz que “dessa vez” PP não abre mão de indicar nome para presidência da AL-BA

Compartilhar
Crédito da foto :: Forte na Notícia / Reprodução     



Fernanda Chagas / Bocão News 


Ao contrário do que ocorreu na disputa passada, o PP não abrirá mão de indicar um nome para suceder o pessedista Ângelo Coronel na presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). A confirmação vem do próprio presidente do partido, o vice-governador João Leão. 

Conforme ele explica, além de ter cedido espaço ao PSD no pleito anterior e a suplência do Senado na chapa do governador Rui Costa (PT), é preciso levar em conta que os pessedistas já têm na cota o comando atual da AL-BA e da União das Prefeituras da Bahia (UPB).

Ele cita ainda, que o PT já é detentor do cargo maior, que determina todos os espaços, enquanto o PP tem a menor fatia do bolo por vir sempre cedendo espaços aos aliados. “E dessa vez não abro mão, o PP não abrirá mão”, frisou. 

As conversas, entretanto, só devem se afunilar após o segundo turno das eleições, já que todas as atenções se voltam para emplacar Fernando Haddad (PT) na Presidência da República. 

Embora ainda não confirmem, o deputado Nelson Leal é a principal aposta para representar o partido na busca pelo maior número de apoios. Além dele, Aderbal Caldas estaria no rol de possibilidades. Ambos possuem experiência de cinco mandatos na Casa. 

Assim como Leão, o secretário-geral do partido Jabes Ribeiro também já havia deixado claro a legitimidade da sigla ser a protagonista do processo.

Em setembro, antes do primeiro do turno das eleições, ele afirmou em contato com a reportagem que após o processo eleitoral o assunto entraria na pauta. 

“Entendemos o protagonismo do governador, mas vencidos esses critérios, evidentemente, temos interesse de discutir o assunto por entendermos que também temos o direito, legitimidade de indicar um nome. Afinal, temos apoiado outros candidatos ao longo de todos esses anos”, justificou na ocasião. 

As eleições ocorrerão no início do próximo ano. No último pleito, o cargo foi disputado pelo então presidente, Marcelo Nilo (PSB), à época no PSL, e por Luiz Augusto (PP) e Angelo Coronel (PSD), que acabou eleito. Na reta final, o pepista decidiu apoiar o pessedista.




bocãonews

Post Bottom Ad

VivaABahia