JUAZEIRO @ RIO SÃO FRANCISCO: PELA PRIMEIRA VEZ, DESDE 2013, OS RESERVATÓRIOS APRESENTAM ÍNDICES ACIMA DO NÍVEL CRÍTICO - Observador Independente

BAHIA

7 de noviembre de 2018

JUAZEIRO @ RIO SÃO FRANCISCO: PELA PRIMEIRA VEZ, DESDE 2013, OS RESERVATÓRIOS APRESENTAM ÍNDICES ACIMA DO NÍVEL CRÍTICO

Crédito da foto :: Ascom CHBSF Delane Barros / Divulgação    




O cenário do Rio São Francisco não apenas para esse final de ano, mas também para 2019 é mais confortável que em períodos anteriores. A informação foi transmitida na manhã de segunda-feira (5 de novembro), durante reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA), em Brasília (DF), com o objetivo de analisar as condições hidrológicas da bacia e transmitida por videoconferência. O motivo principal está no registro de chuvas nos últimos dias, o que pode tornar possível aplicar uma nova medida que aumenta a vazão defluente mínima.

Durante a reunião, a equipe técnica do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) apresentou informações sobre os índices pluviométricos da bacia do São Francisco. De acordo com os dados apresentados, a estimativa de chuva é de 71 milímetros (mm) até a próxima semana. A verificação aponta que não deve ser uma chuva homogênea, porém, contínua.

Para o reservatório de Sobradinho, na Bahia, a previsão é de uma precipitação de 95 mm e uma vazão afluente superior a 300 mm na bacia como um todo. A vazão da bacia permanece abaixo da média, levando em consideração a comparação com os últimos cinco anos, mas numa situação mais confortável que em outros anos. Para os próximos meses, a previsão é que permaneça abaixo do esperado, mesmo com chuvas constantes.

A equipe do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) também apresentou informações. Diante do cenário que se apresenta, o órgão confirmou o aumento da vazão em Três Marias, em Minas Gerais, do patamar atual, de 200 para 215 metros cúbicos por segundo (m³/s) no próximo dia 7 e para 230 m³/s na semana seguinte, dia 14 de novembro.

Com relação à defluência dos reservatórios, o ONS defende a premissa de uma descarga de água de 730m³/s em Sobradinho e em 605m³/s em Xingó, Alagoas. A equipe técnica do órgão informa, ainda, que o armazenamento em Três Marias aponta para 35,5% do volume útil e média de 23% em Sobradinho e Itaparica (PE). Esse cenário permite, segundo o ONS, a prática de defluência de 700 m³/s em Sobradinho no mês de dezembro e de 800 m³/s em janeiro.

O superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA, Joaquim Gondim, informou que estudo promovido pela agência federal aponta que os níveis atuais dos reservatórios sejam superados, chegando a dezembro num limite mínimo acima do acertado e condição muito melhor que nos últimos anos. “Em comparação com outubro do ano passado, Sobradinho estava com pouco mais de 5%”, lembrou ele. “Pela primeira vez, desde 2013, os reservatórios apresentam índices acima do patamar crítico”, completou Gondim, num indicativo de que poderá entrar em vigor a nova resolução da ANA, a qual estabelece novos limites mínimos de vazão do rio.

O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda, acompanhou a reunião através de videoconferência. Ele apresentou um resumo das reuniões promovidas pelo colegiado para discutir com o poder público o impacto das ocupações irregulares diante do cenário de enchentes. A primeira delas foi realizada em Propriá (SE) e a última em Pirapora (MG). Miranda propôs que se crie um grupo de trabalho para analisar os resultados das reuniões, o que foi acatado pelo superintendente Joaquim Gondim. Ele sugeriu que o assunto seja tratado no mês de janeiro, em data a ser definida posteriormente.

Anivaldo Miranda também se posicionou sobre o estudo divulgado pela Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), a respeito da proliferação de fitoplanctons no rio. “O Comitê está atuando nessa questão com um consórcio formado por diversas universidades localizadas na bacia”, explicou o presidente do CBHSF. Segundo ele, a questão deverá também ser combatida com o incentivo junto aos municípios para a implementação dos planos municipais de saneamento básico. “E o Comitê irá atuar para esse planejamento sair da região do Baixo e chegar até o Alto São Francisco”, prometeu.




Ascom CHBSF Delane Barros

AVISO LEGAL

Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.

É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros.

O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso, conforme regra estipulada em sua Política de Privacidade.

VOCÊ e mais 12 mil pessoas estão recebendo está matéria via whatsapp por que tem algum contato com umas das nossas três redações. Se não quiser mais receber os alertas, por favor, nos informe.

Paginas