E VÁ CONFIANDO NA POLICIA BAIANA 🤮 Jovem preso por engano é inocentado pela Justiça na BA; prisão ocorreu após acusação de roubo e estelionato. Cor da pele e o cabelo foram características usadas para a prisão🤮 - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

segunda-feira, dezembro 06, 2021

E VÁ CONFIANDO NA POLICIA BAIANA 🤮 Jovem preso por engano é inocentado pela Justiça na BA; prisão ocorreu após acusação de roubo e estelionato. Cor da pele e o cabelo foram características usadas para a prisão🤮



Na ocasião da prisão, Gabriel dos Santos Silva foi apontado pelo marido da vítima. De acordo com a defesa do jovem, a cor da pele e o cabelo de Gabriel foram características usadas para a prisão.


Após mais de um ano de acusação por roubo e estelionato, o jovem Gabriel dos Santos Silva recebeu a notícia do arquivamento do processo na Justiça. Ele chegou a ser preso em junho de 2020. Na ocasião, ele foi apontado como suspeito após reconhecimento da vítima.

De acordo com a defesa do jovem, Gabriel foi confundido por ter características apontadas pelo marido da vítima do roubo: preto, cabelo loiro e tatuado.

Na ocasião, Gabriel saia de uma agência bancária na região do Centro Administrativo de Salvador (CAB), quando foi preso por policiais à paisana. Ele ficou detido por três dias, até o habeas corpus. Desde então, Gabriel e a família passaram a lutar pelo reconhecimento da inocência do jovem.

Na semana passada, a mãe de Gabriel, Daniela Lopes dos Santos, foi informada pelo advogado da família do arquivamento do processo.

“Eu estava na casa de uma amiga, quando minha mãe soube da decisão pelo advogado. Eu nem fazia ideia”, contou Gabriel.

A mãe do jovem, Daniela Lopes dos Santos celebrou a decisão. “A família e as pessoas que conhecem Daniel sabiam a verdade. Graças a Deus, estamos aqui firme e forte. Para honra e glória de Deus, o emprego dele vai sair. Ele vai continuar a trabalhar sem medo de viatura alguma parar ele”, disse.

O processo foi arquivado pelo Juiz Arlindo Alves dos Santos Junior. Na decisão, o magistrado destaca que no dia em que foi preso, Gabriel estava na agência bancária para obter o seu Seguro Desemprego.

A decisão ainda aponta que não foram encontradas provas do envolvimento do jovem nos crimes. “Tanto no crime de roubo, quanto no crime de extorsão, não há nada que ligue Gabriel a prática de crime. No inquérito policial fizemos vários pedidos ao delegado para quebra do sigilo telefônico, tanto da Caixa, quanto do Santander, da SSP, nada liga Gabriel aos fatos criminosos", contou o advogado de Gabriel, Alberto Mariano.

Apesar da inocência comprovada, Gabriel conta que passou a se privar de determinadas situações por conta do processo. “Parei de ir em festas fora do meu bairro para não ser reconhecido, ou passar por alguma situação de abordagem ou acontecer algo pior”, conta.

Enquanto isso, familiares e amigos criticam as vítimas que acusaram Gabriel na época da prisão. "Onde está o casal que afirmou que Gabriel era o culpado? Sempre foi palavra contra palavra e a pergunta que fica agora é essa", questiona uma amiga do jovem.

A prisão

De acordo com a defesa, Gabriel foi apontado pelo marido da vítima, que foi até o local, e o apontou como um dos suspeitos que roubou o veículo da esposa dele e ligou para a polícia.

O grupo diz também que Gabriel estava no celular no momento em que foi encontrado pela polícia e, por isso, foi confundido com o homem que receberia o dinheiro do resgate do veículo.

Na ocasião, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que Gabriel dos Santos Silva foi preso em flagrante por extorsão. O órgão disse que o jovem cobrou R$ 1 mil para devolver o carro roubado por ele.

Ainda segundo a SSP, Gabriel teria sido reconhecido pela vítima como o autor do assalto e ele teria marcado com a vítima para entregar o carro, onde foi preso, quando chegou ao local.


Foto :::: Reprodução / Redes Sociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->