OPINIÃO ✍️ A pandemia COVID-19 não acaba porque as pessoas não querem que acabe. Simples assim! Medidas duras de “estado de guerra” precisam ser adotadas ✍️ - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

sábado, janeiro 15, 2022

OPINIÃO ✍️ A pandemia COVID-19 não acaba porque as pessoas não querem que acabe. Simples assim! Medidas duras de “estado de guerra” precisam ser adotadas ✍️

Enquanto alguns sofrem, irresponsáveis continuam disseminando o vírus impunemente. Isto precisa acabar.


Temos visto as centenas, milhares de mortes por COVID-19 em todo o mundo e famílias sendo desestruturadas. Parentes, amigos, sendo levados pela morte provocada por um vírus possivelmente fabricado em laboratório, sabe-se lá de quem.


A única certeza é que mata e é teoricamente indestrutível, tendo as vacinas apenas como alívio, não impedindo a propagação de tão letal e infeliz arma biológica.

Mas o pior é a inconsequência das pessoas, o desleixo com a prevenção, o descaso, chegando alguns até a afirmar que a pandemia não existe e que o vírus não é letal. Outros, mesmo tendo a ciência séria, informado que a única forma de se livrar deste tão implacável flagelo é a prevenção, pede incansavelmente a realização, ou até mesmo realizam ilegalmente, festas, shows, aglomerações várias, sem proteção, cuidados, etc.
Observe neste restaurante: dezenas de pessoas sem máscaras e em ambiente muito pequeno. Distancia entre mesas? Pra que? Porque? Aí é necessário a sociedade que quer se cuidar, reagir.

O que se tira como conclusão é que boa parte da população mundial não está “nem aí” para a contaminação pelo vírus letal e suas consequências. Quem paga o preço? Aqueles que tentam se cuidar, se proteger adotando as orientações da ciência que tem sido a única barreira contra tal mazela.

Vive-se atualmente, praticamente uma nova pandemia com cidades, a exemplo de Feira de Santana, na Bahia, tendo aumento dos casos de 350% a 400% nos últimos dias.

Ora, ora, mas porque será que as ondas vão e voltam? Simples. A população não acredita que o vírus é letal e que não vai contrair a doença.

É comum ver as ruas cheias de pessoas sem máscaras, o uso de álcool gel praticamente desapareceu dos estabelecimentos comerciais, as aglomerações são constantes em todos os lugares, e não há uma consciência coletiva que é preciso evitar a contaminação ou não sobrará muitos humanos para contar a história.

Os governos? Estão fazendo o que acham que podem, menos impor medidas duras, a exemplo do uso obrigatório de máscaras. Existe um ditado popular que diz, “brasileiro só obedece à lei quando essa doe no bolso”. Pois está mais que na hora dos governos passarem a adotar medidas mais duras, inclusive com multa pesada a quem for pego sem a máscara e a contenção dessas pessoas em locais especiais, especialmente aquelas que rotineiramente promovam aglomerações.

Só assim, com medidas duras, será possível a eliminação do meio da sociedade de pessoas que são potenciais agentes transmissores e disseminadores de vírus letais. As atividades devem continuar normais no comércio e indústria para as demais pessoas, mas aquelas que desobedecerem às orientações sobre segurança biológica devem ser rigorosamente punidas.

Afinal estamos enfrentando uma guerra biológica e as pessoas e a sociedade tem que ser tratadas como prevê a legislação mundial, inclusive a Constituição Federal brasileira, considerando-se o “estado de guerra real” no qual verdadeiramente estamos todos envolvidos, independente do seu status.

Resumindo, já chega de mortes provocada por um vírus letal espalhada por irresponsáveis.  

É apenas a opinião de um leigo.

As festas e encontros com amigos tem sido assim no Brasil e no mundo. Sem a mínima preocupação com a transmissão latente que cada um pode estar carregando e muito menos o uso de máscaras. 


Fotos ::: Baixadas da internet / Ilustrativas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->