👏 Como telejornais mostraram o ‘Bolsonaro comunista’ na Rússia. Fora os criadores de falsas polêmicas, apenas cumpriu a agenda padrão a qualquer autoridade do primeiro escalão em visita oficial à Rússia. - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

quinta-feira, fevereiro 17, 2022

👏 Como telejornais mostraram o ‘Bolsonaro comunista’ na Rússia. Fora os criadores de falsas polêmicas, apenas cumpriu a agenda padrão a qualquer autoridade do primeiro escalão em visita oficial à Rússia.



Dos principais telejornais, apenas o da Record não citou a ideologia execrada pelos discípulos do presidente.


Jair Bolsonaro homenageou ou não o comunismo, eis a questão. As redes sociais se dividiram com a repercussão da visita do presidente ao Túmulo do Soldado Desconhecido, ao lado do Kremlin, em Moscou.

Incontáveis memes debocharam do suposto vexame do líder brasileiro anti-esquerda na terra dos emblemáticos comunistas Lenin e Stalin, antes de se encontrar com o presidente Vladimir Putin.

“O dia do presidente Jair Bolsonaro começou com uma homenagem aos militares do regime comunista da então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas que morreram durante a Segunda Guerra”,

 informou o enviado da Globo, Nilson Klava, no ‘Jornal Nacional’.

No ‘Jornal da Record’ não houve referência ao comunismo na matéria do repórter Thiago Nolasco, presente em Moscou. 

“Jair Bolsonaro começou o dia com uma homenagem aos soldados russos”, 

disse, sem citar que eram combatentes do Exército Vermelho.

O SBT, que assim como a Record TV é visto como sincronizado com o bolsonarismo, foi bastante didático ao explicar a presença de Bolsonaro em local tão simbólico para os comunistas do passado e do presente.

“O presidente seguiu o protocolo dos líderes que visitam a Rússia, na homenagem ao soldado desconhecido. Uma referência ao Exército comunista da ex-União Soviética que lutou e derrotou o nazismo”, 

explicou o enviado Sérgio Utsch.

A reportagem do ‘Jornal da Band’, em parceria com o canal russo TV Brics, enfatizou o regime. 

“O túmulo é um importante local de celebração da vitória dos antigos soldados comunistas da União Soviética sobre os nazistas na Segunda Guerra Mundial”, 

destacou a narração do jornalista Sérgio Gabriel.

No geral, a cobertura nos principais telejornais da presença de Bolsonaro na cerimônia militar se ateve ao fato. Como chefe de Estado, ele tinha a obrigação de participar do evento por uma questão diplomática, independentemente de criticar ou não o comunismo. Recusar-se seria um desrespeito aos russos que deram sua vida na luta contra Hitler e o nazismo.

O que se viu na internet foi, portanto, uma falsa polêmica alimentada pelo hábito de ironizar o presidente. O ‘capitão’ da direita não se curvou aos ‘comunas’. Apenas cumpriu a agenda padrão a qualquer autoridade do primeiro escalão em visita oficial à Rússia.


Foto: Blog Sala de TV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->