Exclusivo AratuOn! Líder do BDM diz que policiais obrigaram mulher a "fazer sexo oral" e acusa agente de ameaça; "arma na cabeça de minha mãe" - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

sexta-feira, fevereiro 11, 2022

Exclusivo AratuOn! Líder do BDM diz que policiais obrigaram mulher a "fazer sexo oral" e acusa agente de ameaça; "arma na cabeça de minha mãe"


Apontado como uma das maiores lideranças da facção criminosa Bonde do Maluco, Fábio Souza dos Santos, o "Geleia", fez uma afirmação, com tom de denúncia, muito grave. De acordo com o traficante, policiais civis da 26ª Delegacia Territorial (DT/Abrantes) teriam obrigado uma mulher a fazer sexo oral neles. Além disso, uma testemunha da suposta ação estaria sendo ameaçada.


A unidade policial envolvida no caso fica em Vila de Abrantes, região de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. É a mesma área onde o BDM, comandado por "Geleia", atua no tráfico de drogas.

"Geleia" está preso no complexo penitenciário da Mata Escura, em Salvador, e sustentou a informação ao ficar frente a frente com um dos policiais denunciados. O "interrogatório" acontece dentro da sala da supervisão do Conjunto Penal Masculino e é filmado, supostamente, pelo próprio agente da 26ª DT. O vídeo é interrompido durante as graves acusações.

Um dos investigadores apontados por "Geléia" é Roberto Neves, conhecido como “Xuxa” - que foi chefe do Serviço de Investigação da unidade -. O policial foi executado em novembro de 2018, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador. Roberto, que era conhecido pelo forte combate ao tráfico de drogas, foi morto a facadas dentro de uma casa após uma briga com uma mulher.



"O senhor, 'Xuxa', já pegaram a esposa de '[nome 1]'. Parou no mato e pediu para fazer sexo oral e [nome 2] sabe. [Nome 2] correu e não 'tá' denunciando vocês porque você colocou arma na cara da minha mãe, da minha avó, da minha família. Minha família sabe quem é você. Eu digo uma coisa ao senhor: quero sair do país para viver minha vida em paz",

ataca o traficante.

Antes da primeira afirmação, "Geleia" ainda sustenta que os policiais seriam responsáveis por invasões de terrenos em Abrantes. "O senhor sabe de tudo que acontece lá. Desde a época de 'Xuxa', já 'teve' gestante, mãe de família, que, com suas invasões, com arma em punho, sem juiz autorizar, perdeu a criança", comenta.


QUEM É "GELEIA"

Fábio Souza dos Santos foi localizado janeiro de 2019 na cidade paraguaia de Minga Guazú, na fronteira com o Brasil. Ele estava dentro de um veículo junto com outros dois homens quando foi abordado pela polícia local.

Segundo os policiais, o trio estava dentro de um carro de luxo, modelo Tucson. Durante as buscas, os agentes descobriram que Fábio era envolvido com o tráfico de drogas. Além dele, Jorge Luiz Santa Cruz e Jorge Javier Martinez Amarilla foram levados para a delegacia, na época. Com o grupo, armas e munições foram apreendidas.

De acordo com as investigações, “Geleia” atua em Vila de Abrantes e foi o mandante da morte do policial civil Luiz Alberto dos Santos, lotado também na 26ª Delegacia Territorial (DT). O agente foi baleado diversas vezes quando passava, a bordo de seu próprio carro, pela BA-526 (Cia-Aeroporto) em outubro de 2017. Ele morreu na hora.

POLÍCIA CIVIL SE PRONUNCIA

A reportagem do Aratu On procurou a assessoria de imprensa da corporação para comentar a denúncia. Por meio de nota, a Polícia Civil informou que os relatos de "Geleia" são "factoides infundados e desconexos, sem vinculações de tempo e espaço, e que não foram em momento nenhum noticiadas à Ouvidoria ou à Corregedoria".

Ainda na nota, a PC disse que o traficante "ignora todo o seu passado de crimes e a condição de condenado da Justiça, e exige ser mandado para fora do país". Por fim, sustenta a informação dada pela assessoria da Polícia Civil, o líder do BDM em Abrantes "poderá responder pela ameaça que fez a seu interlocutor".



‌Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.


Foto ::: Reprodução 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->