Dono do judiciário brasileiro, Moraes manda PGR se manifestar sobre suposta interferência na PF - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

quarta-feira, junho 29, 2022

Dono do judiciário brasileiro, Moraes manda PGR se manifestar sobre suposta interferência na PF


Decisão ocorre após senador protocolar pedido sobre gravação envolvendo ex-ministro da Educação.


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou nesta terça-feira, 28, que a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifeste sobre um pedido para que o presidente Jair Bolsonaro (PL) seja investigado por suposta interferência na Polícia Federal no processo envolvendo o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro.

A decisão ocorre no âmbito do inquérito aberto na Corte para apurar uma acusação feita pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro (União Brasil-PR), de que Bolsonaro teria tentado interferir na PF para beneficiar aliados políticos e familiares.

Na ação, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou um pedido para que esse novo fato, ou seja, a acusação de que Bolsonaro teria agido para interferir na corporação agora no caso de Milton Ribeiro, seja investigado pelo Supremo.

Moraes, em seu despacho, determina que os autos sejam enviados para que a PGR se manifeste. O envio é procedimento padrão em casos do tipo para que o procurador-geral analise se há elementos suficientes para abrir uma investigação.

Randolfe acionou o STF após a divulgação de gravações telefônicas de Milton Ribeiro, onde em uma deles, com sua filha, ele diz que havia conversado com o presidente e que ele teria relatado um “pressentimento” de que Ribeiro fosse alvo de uma operação.



Foto: EVARISTO SA | AFP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->