ELEIÇÕES 2022 😱 Lideranças impõem respeito em Salvador e cobram até R$ 12 mil/mês para trabalhar para políticos; pré-candidatos correm para interior. Cada deputado e senador tem à disposição R$ 8.249.158,25 para as eleições😱 - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

sexta-feira, junho 03, 2022

ELEIÇÕES 2022 😱 Lideranças impõem respeito em Salvador e cobram até R$ 12 mil/mês para trabalhar para políticos; pré-candidatos correm para interior. Cada deputado e senador tem à disposição R$ 8.249.158,25 para as eleições😱



Com a dinheirama derramada pelo Palácio do Planalto a favor dos deputados federais e senadores, cujo montante total é astronômico, mas de conhecimento público, ficou difícil para deputados e senadores alegarem que estão sem dinheiro para campanha em 2022.


Por conta disso, lideranças na capital bateram o martelo e exigem participação no bolo extremamente lucrativo que será despejado nas eleições deste ano. Em consultas a vários líderes comunitários na capital baiana, a pedida por salário mensal varia entre R$ 5 mil e R$ 12 mil para os três últimos meses de campanha.

No entendimento destas lideranças, é importante estar atento a esta questão, uma vez que o deputado federal e o senador que quer a reeleição recebeu muito dinheiro para gastar durante este período.

“Veja bem, aqui em Salvador não vou trabalhar para ninguém por menos de R$ 12 mil para os últimos três meses. Esse pessoal recebeu muito, mas muito dinheiro do governo para se reelegerem e não vou trabalhar de graça” 

afirma um líder comunitário em Plataforma, que por razões óbvias não terá o nome revelado.

“Prefiro não ajudar a esse pessoal se não for bem remunerado. Se não me pagar bem não vou ficar nas ruas me arriscando das 06 da manhã a meia noite à toa”, 

resume.

Mas afinal de onde está vindo tanto dinheiro? Dos cofres públicos. Acompanhe.

FUNDO ELEITORAL: O relatório final do deputado Hugo Leal (PSD-RJ) para o Orçamento de 2022 define R$ 5,1 bilhões para o fundo de financiamento de campanha eleitoral. O valor equivale a um aumento de R$ 3,4 bilhões sobre 2018, uma alta de 200%. No último pleito, foram destinados R$ 1,7 bilhões para as eleições. Veja a íntegra da matéria AQUI.

FUNDO PARTIDÁRIO: É um fundo especial de assistência aos partidos políticos constituído pela arrecadação de multas eleitorais, recursos financeiros legais, doações espontâneas privadas e dotações orçamentárias públicas. Segundo a Lei 9.096/95 - atualizada pela Lei 11.459/07 -, 5% do total do Fundo Partidário são destacados para entrega, em partes iguais, a todos os partidos políticos que tenham seus estatutos registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os demais 95% do total desse fundo são distribuídos aos partidos na proporção dos votos obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados. 


Cada partido político no Brasil recebe uma quantia equivalente à sua importância. Esta por sua vez é medida pelo tamanho da bancada. 

Veja quanto cada partido recebeu: PP R$ 2.006.625.961,21; PL R$ 1.678.088.665,71; União Brasil R$ 1.656.624.376,04; PSD R$ 1.525.131.106,04; Republicanos R$ 1.431.276.996,66; MDB R$ 1.153.684.564,03; PSDB R$ 365.377.254,46; PSC R$ 301.440.291,20; Avante R$ 144.193.591,00; Podemos R$ 113.472.509,00; Pros R$ 100.389.992,24; PDT R$ 91.408.043,00; Patriota R$ 90.915.801,33; Solidariedade R$ 86.050.219,91; PT R$ 73.240.063,96; Cidadania R$ 36.793.993,18; PTB R$ 35.000.808,04; PSB R$ 31.208.301,73; PV R$ 8.220.000,00. Veja e entenda o que é o orçamento secreto AQUI

Dinheiro para campanha eleitoral não vai faltar. O que ocorre normalmente é que os parlamentares retém o dinheiro e põem pessoas desavisadas, aquelas que ainda caem no conto do vigário para trabalhar e embolsam o gordo saldo que ficará. Note que são bilhões em dinheiro público. Cada partido que recebe esta festa com dinheiro público, “investe” mais dinheiro para tentar eleger os seus preferidos. Ou seja, mais dinheiro no bolso dos candidatos que tentam entrar na farra e dos que já tem mandato.

EMENDAS PARLAMENTARES: A emenda parlamentar é o instrumento que permite aos deputados e senadores realizarem alterações no orçamento anual. As emendas individuais são propostas feitas por cada Deputado Federal ou Senador para o orçamento do governo federal. Assim, cada parlamentar pode financiar uma obra ou projeto público no seu estado. Eles podem, por exemplo, financiar a compra de mais ambulâncias, que quase nunca você vê acontecer.

Acima ^^^ você acompanha quanto os deputados que representam a Bahia receberam de emendas. Geralmente este dinheiro não chega ao destino. Os valores são recebidos pelas prefeituras ou empresas do governo e em conchavos com empresas e fornecedores, lavam o dinheiro que retorna para o parlamentar. Caso que vem sendo denunciado pela imprensa com a CODEVASF. 


A eleição de 2022 vai pesar no bolso de todos como a mais cara da história republicana. O custo total deve ultrapassar a R$ 25 bilhões.

Essa é uma estimativa conservadora e se baseia na soma das previsões de gastos apresentadas numa única conta do Orçamento (código RP-9, emendas de relator) — criada exclusivamente para financiar projetos de interesse eleitoral dos aliados do governo —, mais as despesas com os fundos de financiamento de campanha, de manutenção dos partidos e com as isenções fiscais que viabilizam a propaganda eleitoral no rádio em na televisão. VEJA AQUI

Nunca os partidos e candidatos tiveram tanto dinheiro à disposição, dentro do orçamento público, para uma empreitada eleitoral como a de 2022.

O financiamento de campanha triplicou. Na quinta-feira, a Câmara aumentou esse fundo eleitoral de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões. Ele irriga os cofres de 33 partidos registrados e, portanto, judicialmente considerados aptos para disputar as eleições gerais.

A dedução é absolutamente óbvia quando líderes comunitários afirmam que não trabalharão de graça para eleger ou reeleger deputados e senadores e governadores. É muito, mas muito dinheiro em jogo.

E você vai trabalhar de graça e receber tapinhas no ombro enquanto os pré-candidatos e candidatos estão com os bolsos cheios de dinheiro?

CUSTOS DAS ELEIÇÕES: São R$ 4,9 bilhões nos bolsos dos 513 deputados federais e 81 senadores que receberão esta bolada para as eleições 2022, o que equivale a R$ 8.249.158,25 por cabeça. Aliás as cabeças mais caras do mundo, considerando que só legislam em causa própria e só lembram do povo a cada dois anos. VEJA AQUI


Fotos ::: Reprodução / Ilustrativas 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->