Jacobinense E C é flagrado com cinco adolescentes em trabalho análogo à escravidão; clube se defende. Veja nota - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

terça-feira, junho 14, 2022

Jacobinense E C é flagrado com cinco adolescentes em trabalho análogo à escravidão; clube se defende. Veja nota


Auditores-fiscais do Trabalho da Superintendência Regional do Trabalho na Bahia (SRT-BA) encontraram cinco adolescentes trabalhando em condições análogas às de escravos no Jacobinense. O clube pertence ao ex-deputado estadual Manassés. Os jovens estavam alojados e treinavam no centro de treinamento do clube, localizado no bairro de Cajazeiras, em Salvador, e foram resgatados no último domingo (12).


Os auditores da SRT-BA passaram a apurar as condições de trabalho dos jovens no interior e em Salvador após a prisão temporária de um técnico do Jacobinense, que foi acusado de assédio sexual com base nas investigações da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (DERCCA). Em visita ao alojamento, eles verificaram que as condições do local eram extremamente precárias e que os adolescentes vinham sofrendo cerceamento da liberdade de ir e vir, recebendo alimentação inadequada, além de ter sido observado carga de treinamento intensa, com, inclusive, atuação em diversas competições.

Os auditores também não encontraram nenhum contratado assinado pelos atletas em formação, seguindo a Lei Pelé. Eles não recebiam nenhum pagamento de bolsa auxílio e nem garantia de matrícula em unidade escolar. Os jovens foram resgatados e a SRT-BA vai providenciar as parcelas de seguro desempregado para as vítimas.

Também no último domingo, o time profissional do Jacobinense assumiu a liderança da Série B do Campeonato Baiano ao bater o Grapiúna, no José Rocha, por 2 a 1, e somar 12 pontos, um a mais do que o Galícia, que é o segundo colocado. Líder e vice-líder se enfrentam nesta quarta-feira (15), às 16h, em Pituaçu, pela sexta rodada.

DEFESA

O advogado do clube, André Maurício Santos Viana, também encaminhou uma resposta, contendo ainda documentos encaminhados à Superintendência Regional do Trabalho na Bahia. Abaixo, segue a reprodução do conteúdo remetido pela defesa do Jacobinense:

O JACOBINENSE ESPORTE CLUBE, inscrito no CNPJ sob nº 23.218.020/0001-39, com endereço comercial na Avenida Luis Viana Filho, número 13223, Boco Angar 2 Sala 214, bairro São Cristovão, Salvador – BA, CEP 41500-300, através do seu procurador constituído e infra-assinado, vem, respeitosamente, perante o Ilmo. Sr. Redator do Portal Bahia Noticias, apresentar esta NOTA afim de esclarecer a matéria publicada em 14 de junho de 2022.

Cumpre-nos informar que o JACOBINENSE ESPORTE CLUBE em nenhum momento teve qualquer tipo de vínculo com os jovens, supostamente, resgatados pela SRT – BA (Superintendência Regional do Trabalho do estado Bahia).

O clube foi notificado pela SRT em 26 de maio de 2022 a prestar informações as quais foram todas prontamente atendidas, apresentando todos os documentos solicitados pela Superintendência Regional do Trabalho do estado Bahia. Sendo que em momento algum foi comprovado pela SRT que existisse qualquer tipo de relação contratual com os referidos jovens.

O JACOBINENSE ESPORTE CLUBE refuta veementemente que estes jovens eram mantidos em situação precária pelo clube, e que tampouco tinham qualquer tipo de contrato de trabalho, formal ou informal com os referidos jovens.

Por fim, o clube esclarece que não possui em seu quadro de funcionários nenhum colaborador menor de idade, o que foi informado e provado através do fornecimento do extrato do eSocial à SRT – BA, o qual deixa cabalmente provado que o JACOBINENSE ESPORTE CLUBE, cumpre fidedignamente com as suas responsabilidades trabalhistas.


Foto: Felipe / Jacobinense EC

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->